Principais bancos privados da Índía faz parceria com a Ripple para remessas transfronteiriças

 

O Banco Federal da Índia, um banco privado comercial, fez uma parceria com a Ripple para usar sua rede para remessas internacionais. O banco anunciou o desenvolvimento em uma carta em 28 de março.

A parceria com a Ripple surge como parte de uma iniciativa mais ampla para aplicar novas tecnologias à rede de remessas do banco. Também em 28 de março, o Federal Bank lançou duas plataformas de remessa nos Emirados Árabes Unidos (EAU) para fazer pagamentos à Índia.

Uma das plataformas permitirá que os indianos não residentes nos Emirados Árabes enviem dinheiro através de casas de câmbio e bancos usando o endereço de pagamento virtual do destinatário.

O Federal Bank, que arrecadou US$ 1,5 bilhão em receita em 2018, supostamente controla 15% do mercado indiano de remessas e está explorando como novas tecnologias, como blockchain, podem ajudar a aumentar sua participação nos negócios. Shyam Srinivasan, CEO do Federal Bank, disse ao Gulf News:

“O Federal Bank é uma parte importante do ecossistema de remessas para a Índia, portanto, é natural que ofereçamos a mais recente tecnologia aos nossos clientes e parceiros de remessas, como casas de câmbio e bancos.”

O banco afirmou que o Ripple “garante que transações transnacionais [sejam] muito mais seguras e garantidas”.

A Ripple tem ganhado força à medida que os bancos em todo o mundo consideram se a rede poderia ajudar a melhorar seus serviços de pagamentos transnacionais. Em fevereiro, o segundo maior banco de Omã em valor de mercado, BankDhofar, começou a usar a tecnologia RippleNet para pagamentos internacionais à Índia.

A quarta e maior de uma série de comícios de apoio ao blockchain está marcada para Bangalore em 30 de março, e está previsto ter um enorme impacto público devido à participação planejada de inúmeros desenvolvedores.

O clamor público segue-se à proibição do Banco Central da Índia (RBI) no ano passado, quando o RBI ordenou que as instituições financeiras parassem de lidar com negócios de criptomoeda.