Maior empresa de seguros pan-africana revoga seguro para equipamento de mineração de critpomoedas

A empresa de seguros Pan-Africana Old Mutual optou por não assegurar equipamentos de mineração com criptomoedas devido à ausência de regulamentação na indústria, informou a ITWeb em 10 de junho.

Após uma pesquisa abrangente da indústria, a Old Mutual chegou a uma decisão de não segurar equipamentos usados ​​para mineração de criptomoedas por causa da natureza não regulamentada da indústria.

Entre outras razões a empresa também apontou a exposição às criptomoedas à atividade fraudulenta e destacou que a infra-estrutura eletrônica dos equipamentos de mineração leva ao superaquecimento e outros problemas de funcionamento.

Christelle Colman, especialista em seguros da Old Mutual, disse que “optamos por não fornecer cobertura para este tipo de risco, pois é bastante complicado conduzir uma análise de risco adequada de uma indústria não regulamentada que já está no radar das autoridades financeiras. devido à infeliz associação com lavagem de dinheiro e crime cibernético ”. Colman acrescentou:

“É também uma indústria altamente volátil que atrai muitos especuladores e não há uma estrutura de classificação de risco adequada no mercado atual para esse tipo de risco. Mesmo fazer um inventário abrangente do equipamento segurado é difícil porque o valor do equipamento informático altamente modificado é tipicamente inflado e quase impossível de ser verificado, uma vez que é normalmente importado de fornecedores obscuros no Extremo Oriente. ”

A Old Mutual divulgou uma pesquisa anual do Monitor de Poupança e Investimentos para a África do Sul em julho passado, que entrevistou pessoas sobre a conscientização e a atitude em relação às criptomoedas no país. O estudo mostrou que os entrevistados geralmente tinham uma consideração positiva sobre as criptomoedas, com 38% dos entrevistados concordando com a afirmação "Eu gostaria de ter investido em [criptomoeda] antes" e 71% concordando que "Você pode ganhar muito dinheiro com elas".

Ao mesmo tempo, 43% dos entrevistados concordaram com a afirmação “Eles são uma má notícia, como um esquema de pirâmide” e 53% disseram que não entendem como as criptomoedas funcionam. Em termos de conscientização geral, 40% dos entrevistados responderam que estavam cientes em graus variados, enquanto 60% disseram que não estavam cientes das criptomoedas.

Conforme relatado em janeiro deste ano, o Banco de Reserva da África do Sul publicou um documento de consulta avaliando os benefícios e riscos das criptomoedas. No documento, o governo da África do Sul esclareceu que não pretendia proibir o comércio de criptomoedas, nem os pagamentos de criptomoedas na época.