Liquid cancela venda de tokens Gram do Telegram e devolve fundos aos investidores

A Liquid Exchange cancelou a venda dos tokens Gram da Telegram Open Network (TON), de acordo com um post da empresa em 10 de janeiro. A exchange devolveu os fundos de todos os investidores que participaram da venda não oficial.

A exchange teria cancelado a venda devido ao atraso no lançamento da rede principal TON. No momento da venda, em julho de 2019, acreditava-se que a rede entraria em operação em 31 de outubro. No entanto, o lançamento foi impedido pela investigação da SEC sobre a oferta original do Gram, com suspeita de que ela teria sido uma venda não registrada de valores mobiliários.

As condições de venda da Liquid diziam que todos os fundos seriam devolvidos aos investidores caso a TON não fosse lançada até 30 de novembro de 2019.

Conforme noticiado anteriormente pelo Cointelegraph, a venda de tokens da Liquid não ligada ao Telegram. De acordo com os termos de venda do Telegram, os participantes da oferta inicial de moedas original (ICO) não podem revender ou trocar os tokens de forma alguma até 18 meses após o lançamento da rede. De acordo com a página Liquid ICO, os tokens deveriam ser entregues em várias parcelas após o lançamento da rede principal da TON.

A Liquid supostamente atuou como um agente da Gram Asia, supostamente o maior detentor de tokens Gram do continente. As fontes do Cointelegraph próximas ao Telegram observaram na época que foi a primeira vez que souberam da organização.

A exchange conseguiu coletar pelo menos US$ 4 milhões em USDC, contidos em uma carteira Ethereum divulgada pela empresa. Os fundos foram transferidos para a carteira quente da Liquid em 14 de janeiro, segundo a Etherscan.

A ação do Telegram com a SEC está programada para continuar, com o regulador obtendo recentemente evidências cruciais contra a empresa.