Maior corretora brasileira lançará casa de câmbio para Bitcoin e Ethereum

A maior corretora do Brasil entrará no espaço cripto lançando uma casa de câmbio Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) em um futuro próximo, informou a Bloomberg em 21 de setembro.

O executivo-chefe do Grupo XP, Guilherme Benchimol, disse à Bloomberg que a empresa lançará uma casa de câmbio chamada XDEX nos próximos meses, com cerca de quarenta funcionários. O Grupo XP é o maior grupo financeiro do Brasil, composto por empresas com diversos modelos de negócios.

A XP teria estabelecido a meta de ter R$ 1 trilhão (US $ 245 bilhões) sob custódia até 2020, o que é quatro vezes o que a empresa espera crescer até o final deste ano. Além disso, a XP lançará um banco nos próximos meses.

Benchimol disse que ele “deve confessar, este é um tema que eu preferia que não existisse, mas existe”, acrescentando que “nos sentimos obrigados a começar a avançar neste mercado”. Ele observou que a empresa está sendo empurrada para o setor de cripto pela popularidade das criptomoedas entre os investidores. 3 milhões de brasileiros “têm exposição” ao Bitcoin, comparado a apenas 600.000 que investem no mercado de ações.

Inicialmente, o Grupo XP anunciou seus planos de lançar uma bolsa BTC de over-the-counter (OTC) em abril. O movimento foi declarado o primeiro da XP, que primeiro registrou um equipamento chamado XP COIN INTERMEDIAÇÃO em agosto de 2017. Mais tarde naquele ano, após uma injeção de capital de 5 milhões de reais, a empresa foi renomeada para XDEX.

No início desta semana, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Brasil (CADE) lançou uma investigação em seis grandes bancos nacionais sobre supostas práticas monopolistas no espaço cripto. Segundo um relatório do CADE, "os principais bancos estão impondo restrições ou até mesmo proibindo ... o acesso ao sistema financeiro por corretoras de criptomoedas". Os bancos supostamente alegam que as contas dos corretores foram fechadas devido à ausência ou falta de dados do cliente.