Kudelski firma parceria com auditor de contratos inteligentes Hosho para soluções de segurança em blockchain

A provedora de soluções de cibersegurança Kudelski Security firmou parceria estratégica com a empresa de auditoria em contratos inteligentes Hosho para fornecer mais segurança para ecossistemas blockchain. A notícia foi anunciada em press release da Kudelski em 19 de março.

Como o Cointelegraph auf Deutsch publicou anteriormente, a Kudelski Security — uma provedora de soluções de segurança em tecnologia stalwart da Suíça que opera seus negócios multinacionais pela Europa e Estados Unidos — lançou um Blockchain Security Center (BSC) em janeiro.

A Kudelski, que tem expertise no campo da criptografia aplicada, disse que estabeleceu a parceria com a Hosho, baseada em Las Vegas, para estender as capacidades do BSC e combinar os respectivos conjuntos de habilidades das empresas. A meta da parceria é oferecer soluções de segurança mais robustas para empresas e organizações públicas que usam tecnologia blockchain.

O comunicado cita a pesquisa da Hosho que diz que mais de US$ 2 bilhões foram perdidos ou roubados de empresas blockchain em 2018 devido a vulnerabilidades de segurança. A auditoria do setor de contratos inteligentes da Hosho teria descoberto que uma a cada quatro têm "vulnerabilidades críticas e três a cada cinco têm pelo o menos um problema de segurança”.

Kudelski declara que os recursos combinados da nova parceria permitirão que uma ampla gama de entidades possa desenhar, construir e operar aplicações blockchain seguras e ainda agregar mais valor a seus investimentos, com menos riscos.

Hartej Sawhney, co-fundador e presidente da Hosho, declarou:

“A parceria significa a primeira vez que um lider de cibersegurança de blockchain une forças com uma empresa de segurança cibernética de capital aberto. As empresas estão investindo rapidamente pra incorporar tecnologias de contabilidade descentralizada em seus sistemas de legado. Companhias como a Kudelski, com mais de 30 anos de esperiência em segurança cibernética, IoT, e soluções de acesso público, são necessárias para suprir as crescentes demandas complexas do setor.”

Como já noticiado, a Hosho solicitou a demissão de 80% de sua equipe, alegando que o aumento do uso de ferramentas automatizadas tornava desnecessário o trabalho de auditoria de um grande número de engenheiros. Sawhney disse ao Cointelegraph na época que uma queda no número de auditorias de contratos inteligentes em meio ao prolongado mercado de urso era outro fator importante para a mudança.