Ministério coreano lança sondagem sobre causas do hack em casa de câmbio cripto Bithumb

O Ministério de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul (MIC) lançou uma investigação sobre o roubo de US $ 30 milhões na sexta maior casa de câmbio cripto, a Bithumb, informa o Yonhap News na quarta-feira, 20 de junho.

A Bithumb, que é a principal empresa de cripto da Coreia do Sul, suspendeu temporariamente todos os depósitos e saques na casa assim que detectou o roubo.

De acordo com o Yonhap, o ministério disse que, assim que divulgou o hack da Bithumb, a Agência de Internet e Segurança da Coreia (KISA) se juntou a uma investigação urgente do caso. O Ministério agora planeja analisar as causas do roubo em cooperação com a polícia e outras agências.

O MIC diz que está investigando os níveis de segurança de 21 casas de câmbio de cripto entre janeiro e março deste ano e confirmou que a maioria deles tem vulnerabilidades de segurança.

Esses pontos fracos incluem o isolamento insuficiente da rede, a ausência de sistemas de monitoramento para atividades anormais ou suspeitas e o gerenciamento inadequado de segurança de senha e chave criptográfica. Em 12 casas, o MIC descobriu a completa ausência de um sistema de segurança.

Em um incidente separado no início deste mês, hackers roubaram cerca de US $ 37 milhões de outra casa de câmbio cripto sul-coreana Coinrail, que ficou em 99º lugar no ranking mundial em volume de transações no momento do furto. De acordo com o Yonhap, o MIC disse que as medidas de melhoria recomendadas para a Coinrail não foram implementadas adequadamente durante a investigação, e que agora planeja monitorar a resposta do próprio Bithumb.

Além disso, o MIC informou que, a partir do final deste mês, planeja acompanhar de perto as 21 casas que vêm monitorando quanto a deficiências de segurança e garantir que elas melhorem suas práticas até setembro.

De acordo com correspondentes da Cointelegraph em contato com representantes do Sentinel Protocol, projeto coreano de detecção de fraudes, a carteira da Bithumb foi hackeada na noite de 19 de junho.

Antes do hack, a Bithumb havia transferido uma grande quantidade de Ethereum para o armazenamento frio da carteira, depois de perceber um acesso anormal em seus servidores, anunciando também uma verificação abrupta do servidor em 16 de junho "para maximizar as configurações de segurança".

Como a Cointelegraph relatou, a casa disse que compensará os usuários afetados pelo hack:

“Verificamos que algumas das criptomoedas avaliadas em cerca de US $ 30.000.000 foram roubadas. Essas criptomoedas roubadas serão cobertas pela Bithumb e todos os ativos estão sendo transferidos para a carteira fria”.