Coreia: Ex-vice-presidente de regulador financeiro será o chefe de associação blockchain

O ex-vice-presidente do regulador financeiro da Coréia do Sul, o Serviço Supervisório Financeiro (SSF), foi nomeado para liderar a Associação Blockchain da Coreia. A notícia, revelada pela associação na segunda-feira, foi divulgada pelo jornal local em língua inglesa The Korea Times em 13 de junho.

A Associação Blockchain da Coreia procura criar regulamentações para a tecnologia blockchain e o setor de criptomoeda e conta como exchanges cripto, empresas relacionadas à cripto e instituições públicas. Supostamente está definido que Oh Gap-soo, de 70 anos, será nomeado para o cargo em uma reunião geral marcada para 24 de junho.

Oh é supostamente o atual presidente da Global Finance Society e desempenhou anteriormente a vice-chefia do Standard Chartered Bank da Coreia, bem como como diretor externo no KB Kookmin Bank, uma das maiores instituições financeiras da Coreia.

Segundo o The Korea Times, Oh também criou as políticas financeiras para a campanha eleitoral do presidente Moon Jae-in.

O ex-presidente da associação, Chin Dae-je, teria expressado seu desejo de deixar o cargo durante uma reunião geral realizada em março deste ano.

Oh - que será o segundo presidente da associação desde seu lançamento em março de 2018 - atuará ostensivamente em um mandato de três anos.

Como descreve o The Korea Times, a associação já enfrentou críticas sobre o seu alegado fracasso em defender os interesses das exchanges cripto domésticas, na esteira de uma política comercial de uso de nomes reais no setor de cripto. A política, planejada pelo governo coreano no final de 2017, é percebida como a que supostamente esfriou o interesse dos investidores no mercado.

Conforme relatado, uma reunião pan-governamental coreana teria sido recentemente convocada para estabelecer um monitoramento mais de perto da alta no mercado de cripto do país, em meio ao recente aumento acentuado nas avaliações de cripto. As autoridades locais interpretaram a recente quebra da barreira dos 10 milhões de won (cerca de US$ 8.400) pelo Bitcoin (BTC) como um sinal de um mercado possivelmente superaquecido.