Gigante japonesa de serviços financeiros Monex quer se juntar ao Libra do Facebook

A corretora on-line Monex Group Inc., proprietária da exchange cripto japonesa hackeada Coincheck, planeja se juntar ao projeto de criptomoedas do Facebook, o Libra.

Uma reportagem do Cointelegraph Japão de hoje, 26 de julho, revela que o CEO do Monex Group, Oki Matsumoto, anunciou que a companhia apresentou um pedido para se juntar à Libra Association durante uma coletiva de imprensa sobre os resultados financeiros do Monex no segundo trimestre de 2019.

A Libra Association é o recém-criado consórcio de governança independente para a stablecoin do Facebook, chamada Libra, e atualmente está negociando com uma série de outros membros em potencial - incluindo Visa, Uber, Mastercard e eBay.

Taxas de entrada

Como o Cointelegraph relatou anteriormente, os membros da Libra Association devem pagar US$ 10 milhões pelo privilégio. Matsumoto afirmou que ele está deliberando muito, mas que:

"Eu acho que o Libra tem um grande potencial, então eu quero pensar positivamente."

O presidente do Monex Group disse que o pedido será revisado inicialmente no final de agosto e que a empresa finalmente decidirá se vai aderir à associação até o final de setembro. Ele, no entanto, admitiu que esse cronograma poderia mudar à luz do intenso escrutínio regulatório do projeto, particularmente por parte do governo dos Estados Unidos.

Como observa o Cointelegraph Japão, se o Monex Group ingressar na associação, será a primeira empresa japonesa a fazê-lo.

É melhor não empurrar moedas virtuais "para baixo"

Matsumoto supostamente abordou o potencial positivo do Libra para ampliar a inclusão financeira em áreas como remessas e doações transfronteiriças para economias emergentes.

Observando que "pontos e pseudo-moedas estão em alta" no Japão, ele sugeriu que é melhor cooperar com grandes e respeitáveis ​​atores para promover a credibilidade e a adoção das criptomoedas:

"Quanto mais você tenta parar a moeda virtual, mais você fica por baixo. Acho que essa tendência vai ceder à ideia de que operadores confiáveis ​​são melhores."

Ele supostamente acrescentou - em referência a VISA e MasterCard - "existem operadores mais confiáveis" por aí?

Conforme reportado, uma nova pesquisa da CivicScience revelou que apenas 2% dos americanos confiam no Libra do Facebook mais do que no Bitcoin.

No início deste mês, o Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos detonou o Libra do Facebook, focando em preocupações como privacidade, confiança e conformidade regulatória.

Em uma outra reunião da Câmara neste mês, os legisladores dos EUA perguntaram ao Facebook como eles poderiam confiar em uma empresa cuja coleta, armazenamento e uso indevido de dados de clientes resultaram em uma multa de US$ 5 bilhões.

A circunspecção em relação ao Libra tem ecoado por cidadãos, figuras da indústria de cripto, governos, reguladoresbanqueiros centrais em todo o mundo.