Grande banco japonês Mizuho lança stablecoin atrelada ao Yen em março

O grande banco do Japão Mizuho Financial Group irá lançar sua aguardada stablecoin para pagamentos e serviços de remessa em 1o de março, segundo o jornal de economia do país Nikkei Asian Review noticiou em 21 de fevereiro.

Em parceria com outras 60 instituições financeiras - que juntas atenderiam a 56 milhões de contas de usuário - a nova moeda digital "J-Coin" do Mizuho estabeleceria uma ligação direta entre as contas bancárias existentes e carteiras digitais.

O Mizuho Financial Group é uma empresa de holding bancário que registrou mais de US$1.8 trilhão em ativos totais em 31 de dezembro de 2018.

A moeda seria gerenciada por um app dedicado móvel, chamado J-Coin Pay, usando QR codes no checkout para concluir pagamentos de varejo. De acordo com o jornal Nikkei, a moeda será uma stablecoin digital fixada no preço de 1 yen (~US$0.01) por unidade, e as transferências entre contas bancárias e carteiras J-Coin serão livres de taxação.

O CEO do Mizuho, Tatsufumi Sakai, disse ao Nikkei que “a chegada desses novos produtos no ramo de pagamentos digitais está infundindo no senso comum a noção de que os serviços de pagamentos são de responsabilidade das instituições financeiras". Como o Nikkei escreveu, o Japão já possui inovadores de pagamento como a gigante de e-commerce Rakuten e o provedor de serviços de mensagens Line, que lançaram cada um uma criptomoeda própria e uma blockchain particular.

De acordo com o jornal japonês, os potenciais usuários da J-Coin Wallet não precisarão passar por avaliação de crédito e o serviço será aberto para maiores de 18 anos. As carteiras J-Coin também terão um leque mais flexível de serviços de pagamento e remessa com relação às contas bancárias tradicionais - com opções para os amigos dividirem contas ou para membros de uma mesma família transferirem pequenas quantias de dinheiro.

Na nota, a empresa disse já ter apresentado a plataforma para grandes empresas da indústria de varejo, Mizuho disse que estaria negociando com a rede de conveniência FamilyMart, assim como a varejista eletrônica Bic Camera e a empresa de logística East Japan Railway. O objetivo seria reunir no mínimo 300.000 lojas e pelo o menos 6.5 milhões de usuários em alguns anos.

Como o Nikkei segue noticiando, apesar da perspectiva ampla do megabanco com sua base de usuários e aliança de 60 empresas, o alcance do usuário-alvo ainda fica muito atrás da gigante Line com 79 milhões de usuários no país. A Line Pay, inclusive, já seria aceita em mais de 1.3 milhão de lojas.

O Mizuho ainda estaria negociando uma parceria estratégica com o Alipay da Alibaba para ajudar o J-Coin Pay a ganhar tração com as lojas. O banco também planeja estipular taxas de transação e de cartão de crédito mais baixas para os comerciantes, que geralmente variam de 2 e 5%.

Como já noticiado, os primeiros planos de que o Mizuho lançaria sua própria moeda digital foram divulgados em dezembro de 2018.

Em janeiro de 2018, outro gigante bancário japonês— Mitsubishi UFJ Financial Group, quinto maior banco do mundo — revelou seus planos de lançar uma stablecoin atrelada ao yen, chamada MUFG Coin. MUFG também planeja o lançamento de um sistema de pagamentos baseado em blockchain, em parceria com a rede de envio de conteúdo dos Estados Unidos Akamai, até 2020.