Japão: Trocas registradas de cripto unem-se para auto-regulamentar o mercado local

Dois grupos comerciais na indústria de criptomoedas do Japão concordaram em formar uma organização ainda sem nome no próximo mês que auto-regulará o mercado de criptos local em conjunto com a Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA), a rede de notícias local Nikkei Asian Review relatou no sábado 3 de março.

Esta cooperação na esfera de criptomoedas japonesa vem depois do roubo de janeiro da casa de cripto câmbio japonesa Coincheck, com perdas totalizando mais de US$534 milhões em NEM, o maior roubo no mundo dos cripto desde o Mt. Gox. O hack, que foi causado por uma violação de de uma carteira quente de baixa segurança armazenando NEM, levou a FSA a realizar inspeções de medidas de segurança em 15 trocas de criptos não registradas, incluindo a Coincheck.

Os grupos de comércio que procuram se auto-regular, um dos quais é a Associação Empresarial Cripto de Japão (JCBA),  representam 16 operadores de cripto registrados. Os operadores do mercado  trabalharão em conjunto para produzir padrões de segurança para os investidores em toda a indústria, incluindo a criação de diretrizes para Ofertas iniciais de moedas (ICO). A revisão da Nikkei Asian escreve que o grupo poderá exigir o cumprimento de seus membros, de forma semelhante aos poderes da Associação dos Comerciantes de Valores do Japão.

Taizen Okuyama, presidente da plataforma de troca cambial Money Partners Group, bem como presidente da JCBA, servirá como presidente da nova organização. Okuyama disse à Nikkei Asian Review que o objetivo desta nova organização é "juntar todo o setor de cripto para suportar a auto-regulação".

Yuzo Kano, o CEO da bitFlyer e chefe da associação Japão Blockchain  (JBA), servirá como vice-presidente.

Se o novo grupo for aprovado como órgão regulador independente pelo governo, a organização poderá proibir que determinadas moedas virtuais sejam usadas por operadores criptos registrados no país se, por exemplo, as moedas forem suspeitas de serem usadas em lavagem de dinheiro, segundo os relatórios da Nikkei Asian Review. Enquanto espera a aprovação da FSA, o novo órgão regulador estará provisoriamente aberto a operadores e casas de câmbio registradas.

Em meados de fevereiro, sete grandes empresas de criptomoedas juntaram-se para criar a CryptoUK, a primeira organização comercial que auto-regulará o mercado de criptos no Reino Unido.