Japão: número de dispositivos IoT e redes de criptomoedas hackeadas dobrou em 2018

No Japão, o número de dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e redes de criptomoedas hackeados quase dobrou em 2018 quando comparado ao ano anterior. Informou o veículo de imprensa local em inglês Asahi nesta quinta-feira, 7 de março.

De acordo com a reportagem, dados da Agência de Polícia Japonesa mostram uma média de 2.752,8 intrusões por sensor/dia detectados no ano passado, um aumento de 45% em relação ao ano anterior. Além disso, os dados também mostram que quase todos os ataques vieram do exterior.

Ainda segundo a notícia, considerando apenas as redes de criptomoedas e dispositivos de IoT, os dados mostram uma média de 1.702,8 intrusões por sensor/dia em 2018, o que representa quase o dobro dos 875,9 registrados em 2017. Aparentemente, isso não faz parte de uma ampla tendência de ataques a todos os dispositivos, conforme nota a publicação: 

"O número de intrusões em redes usadas para enviar e receber mensagens de e-mail e sites de navegação permaneceu no mesmo nível desde 2016".

O relatório também mostra a localização dos atacantes, afirmando que 20,8% estão localizados na Rússia, 14,1% na China, 12,6% nos Estados Unidos, 6% nos Países Baixos e 5,1% na Ucrânia. Ataques originários do Japão representaram apenas 1,6% do total.

Como informado pelo Cointelegraph informou em fevereiro, mais de 7.000 casos de suspeita de lavangem de dinheiro vinculados às criptomoedas foram reportados à polícia japonesa em 2018, um aumento de mais de dez vezes em relação aos 669 casos identificados em um período de nove meses no ano anterior.

O Cointelegraph informou ainda que cinco bancos japoneses colaboraram para lançar uma infraestrutura de serviços financeiros baseada na tecnologia de registro distribuído.