Agência do Banco Central do Irã é incendiada e comunidade cripto segue os eventos de perto

Manifestantes iranianos incendiaram o prédio do Banco Central da República Islâmica do Irã na cidade de Behbahan, enquanto a comunidade de criptomoedas acompanha de perto os desdobramentos.

O perfil oficial do Twitter da empresa de mídia libertária BeingLibertarian publicou um vídeo do que é presumivelmente uma agência do banco central do Irã em Behbahan, no sudoeste do país, sendo incendiado em meio a protestos. Curiosamente, a reação ao "tuíte"  foi esmagadoramente positiva, com um usuário dizendo:

“Podemos considerar tentar isso aqui!! Mais eficaz do que tentar auditá-lo.”

Enquanto um usuário respondeu com a palavra "Bitcoin" ao vídeo postado no Twitter, a presença da comunidade de criptomoedas é aparentemente limitada entre os que seguem os eventos.

Ainda assim, um link para o "tuíte" chegou nos subreddits de Criptomoedas e Bitcoin . O post foi então votado por 78% na primeira e 64% na segunda comunidade.

Um protesto não relacionado à política monetária

O meio de comunicação dedicado aos movimentos islâmicos ThePortal informou em 16 de novembro que o prédio foi incendiado em meio a manifestações em andamento contra a decisão surpresa do governo de racionar gasolina e aumentar seu preço em mais de 50%.

O presidente iraniano Hassan Rouhani defendeu a medida alegando que ela é boa para a população local.

O consumo de combustível foi limitado a 60 litros (quase 16 galões) por veículo por mês, abaixo do limite anterior de 250 litros e os preços subiram para 15.000 rials (US$ 0,36). Além disso, qualquer litro acima do limite dos 60 litros está sujeito a um custo de penalidade de 60.000 rials (US$ 1,43).

Na cidade de Sirjan, no centro do Irã, os manifestantes também tentaram incendiar um depósito de combustível. Segundo a reportagem, a mídia estatal afirma que um civil foi morto e vários outros ficaram feridos e as manifestações terminaram à meia-noite.

Como o Cointelegraph relatou em julho, os Estados Unidos estão aparentemente motivados a impor sanções às operações de mineração de criptomoedas ao Irã.