Investimentos em segurança da informação do Agibank, incluindo blockchain, cresceram 120% entre 2017 e 2019

Os investimentos em segurança da informação banco brasileiro Agibank tiveram crescimento de 120% no período entre 2017 e 2019, incluindo investimentos em blockchain. A matéria é do TI Inside desta terça-feira, 14 de janeiro.

Segundo o texto, o Agibank não informa o montante investido no período, mas os aportes teriam o objetivo de ampliar controles e melhorar a experiência dos clientes.

Entre as soluções aplicadas pelo Agibank, destaca a matéria, há o mecanismo de autorização de transações financeiras, que permite a identificação única dos clientes e a assinatura digital das operações, usando blockchain para a troca de chaves criptografadas entre o Agibank e seus clientes.

Como informa a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o setor bancário investiu mais de R$ 19 milhões em tecnologia em 2019, 10% do montante dedicado à segurança da informação. No geral, os investimentos em cibersegurança tiveram crescimento de 3%.

Os bancos também tentam se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que estabelece regras para o uso de informações dos cidadãos, e da resolução 4.658 do Banco Central, que exige o estabelecimento de uma política de cibersegurança para os bancos no país. 

O Agibank é um banco digital brasileiro, fundado em 1999 sob o nome de banco Agiplan, com sede em Porto Alegre (RS), que, segundo o site oficial do banco, conta com mais de um milhão de clientes.