Enquete do FMI prevê que criptos serão método de pagamento comum em cinco anos

O Fundo Monetário Internacional (FMI) realizou uma pesquisa em seu twitter a partir desta quarta-feira, 10 de abril, para saber o que pensam os seguidores sobre qual será a melhor solução de pagamento nos próximos 5 anos. Na pesquisa, o FMI incluiu as criptomoedas como opção entre mais três sistemas de pagamento.

A pesquisa do FMI no Twitter serviria prever com a ajuda dos usuários a solução mais viável para pagar o almoço em 5 anos. O órgão pede que os usuários selecionem sua opção preferida entre Dinheiro, Criptomoeda, Celular e Cartão bancário.

Embora a pesquisa ainda termine nesta quinta, o resultado da pesquisa de 32.650 votos (no momento desta publicação) mostra que a criptomoeda está vencendo com a principal alternativa. As criptomoedas aparecem em primeiro lugar com 56%, seguido por celular com 27%, cartão bancário com 9% e dinheiro com 8%, respectivamente.

Seguindo o tom da pesquisa, o FMI realizou recentemente uma reunião em Washington DC tendo como tema central o “Dinheiro e pagamentos na era digital". Durante o painel, Christine Lagarde, Diretora do FMI, teceu comentários sobre como o pagamento em dinheiro está em queda. Ela lembrouu que a Suécia teve apenas 13% de suas transações realizadas em dinheiro durante 2018. Lagarde disse:

“Os bancos terão que se adaptar para sobreviver ou desaparecer. Eles terão que decidir entre com dinheiro ou sem dinheiro.”

Enquanto o FMI ainda tenta prever o futuro dos pagamentos, alguns dos principais atores do ecossistema - como a Coinbase e a Binance - já correm em busca de soluções de pagamento de criptomoedas sem interrupções.

Com o objetivo de tornar as criptomoedas um definitivo meio de troca, a exchange de criptomoedas baseada em Seattle Coinbase lançou cartão de débito VISA. O cartão é habilitado para o uso várias criptomoedas, incluindo BTC, ETH, XRP, EOS, dentre outras. Ele permitiria que os usuários da Coinbase gastem seu saldo de criptomoedas em compras em todo o Reino Unido.