Relatório da IDC: Gastos da soluções blockchain na Ásia/Pacífico, afora o Japão, chegarão a US$ 2,4 bilhões até 2022

Estima-se que os gastos com soluções blockchain na Ásia/Pacífico, excluindo o Japão (APEJ), cheguem a US$ 2,4 bilhões até 2022, segundo um relatório de 23 de abril da International Data Corporation (IDC), empresa de pesquisa de mercado dos Estados Unidos.

O Guia Semestral de Gastos em blockchain da IDC Worldwide provê uma análise dos dados de gastos do emergente setor de blockchain de uma perspectiva regional e vertical da indústria, caso de uso, comprador e tecnologia.

O relatório prevê um forte aumento nos gastos com soluções blockchain na região neste ano - prevendo que os gastos da APEJ chegarão a quase US$ 523,8 milhões em 2019, um aumento de 83,9% em relação aos US$ 284,8 milhões em 2018.

Para o período de previsão de 2018-2022, o ICC espera uma taxa de crescimento anual composta de cinco anos (CAGR, na sigla em inglês) de 77,5%, culminando com uma estimativa de US$ 2,4 bilhões até 2022.

De acordo com uma declaração de Ashutosh Bisht, gerente sênior de pesquisa de insights e análises de clientes da IDC, o setor financeiro - onde a economia blockchain está mais bem estabelecida - responde por cerca de metade do gasto total durante o período de previsão.

Para 2019, espera-se que os serviços bancários, de títulos e investimentos, bem como os setores de seguros, gastem US$ 294,8 milhões dos US$ 523,8 milhões previstos em 2019.

Ao longo do período de cinco anos, prevê-se que o setor de infraestrutura tenha as soluções de blockchain mais rápidas gastando crescimento, com a CAGR de cinco anos de 99,6% - seguido pelo setor de distribuição e serviços com uma CAGR de 83,0%, afirma o relatório.

Em termos de casos de uso individual de blockchain, a IDC prevê que os acordos de trade finance e pós-transação/transação, além de pagamentos e acordos transnacionais, terão o maior investimento em 2019 - US$ 82,1 milhões e US$ 79,0 milhões, respectivamente. O maior investidor em ambos é esperado para ser o setor bancário.

De acordo com o relatório, a APEJ contribui com cerca de 18,4% do total global gasto em blockchain em 2019, e está em terceiro lugar, atrás da Europa Ocidental (23,7%) e dos Estados Unidos (o que mais gasta), com 37,6%. Dentro da APEJ, a China contribui com cerca de 70% do total gasto até 2022.

Como o Cointelegraph informou, a previsão da IDC de março de 2019 para os gastos com soluções blockchain em todos os países do mundo previa que o valor combinado chegaria a US$ 2,9 bilhões em 2019 - um aumento de 88,7% em relação ao ano anterior.

Um outro relatório, divulgado em março, previu que, nos EUA, os gastos com blockchain atingirão US$ 41 bilhões até 2025 - acima do nível atual de US$ 3,12 bilhões.