IBM e Farmer Connect lançam aplicativo de rastreamento de café baseado em blockchain

Em 6 de janeiro, no Consumer Electronics Show, em Las Vegas, a IBM e a Farmer Connect - uma organização comprometida em aumentar a transparência e a sustentabilidade nas cadeias de suprimentos agrícolas - demonstraram um aplicativo baseado em blockchain que permite aos consumidores aprender sobre os grãos de café que compram.

O fundador e presidente da Farmer Connect, David Behrends, disse ao Cointelegraph que o aplicativo móvel "Thank My Farmer" fornece aos consumidores um mapa interativo para mostrar a jornada de seu café através de um código QR:

“Depois de digitalizar um código QR, os consumidores são levados diretamente para a página do produto, que fornece detalhes sobre o café que está bebendo. Abaixo dessa descrição, há um mapa interativo que mostra a jornada que do café. Dizemos que você pode viajar pelo mundo tomando uma xícara de café e gostaríamos de ajudar os consumidores a visualizar isso. "

O aplicativo Thank My Famer é desenvolvido com a tecnologia blockchain da IBM, que cria uma cadeia de transações digitalizada permanente que não pode ser alterada - acompanhando cada etapa da jornada de um grão de café.

De acordo com o líder mundial de Blockchain da IBM, Paul Chang, cada participante envolvido na rede Thank My Farmer tem uma cópia exata dos dados da transação, e as adições à blockchain são compartilhadas em toda a rede, com base no nível de permissão de cada participante. Isso permite que agricultores, atacadistas, comerciantes e varejistas interajam com mais eficiência, enquanto fornecem aos consumidores informações sobre as origens dos produtos de café.

Como resultado, Behrends explicou que os consumidores poderão ver a localização exata das fazendas onde o café foi cultivado, juntamente com as etapas em que o grão de café passou antes de chegar ao supermercado.

“Se tivermos a geolocalização dos agricultores, essas fazendas aparecerão no mapa. Se não tivermos essas informações, mostraremos as etapas em que o café passou. Por exemplo, o café começa como uma cereja, os grãos são retirados da cereja e são lavados e secos. Cada etapa é executada em diferentes segmentos antes que o produto vá para os portos de exportação e importação. Os consumidores podem clicar no mapa interativo para saber mais sobre como o café foi adquirido, transportado e transformado.”

Na CES, os produtos de café Bluestone Lane foram usados para demonstrar como o aplicativo Thank My Farmer funciona. Segundo Behrends, o aplicativo estará disponível para o mercado geral no início de 2020. Usuários nos Estados Unidos e no Canadá poderão digitalizar códigos QR no café premium de origem única da marca Folgers 1850. Os consumidores europeus poderão usar o aplicativo em uma nova marca de origem única, a Beyers 1769, assada na Beyers Koffie.

O elemento "blockchain for good"

Behrends também observou que um dos objetivos por trás do aplicativo Thank My Famer é humanizar o relacionamento de cada consumidor com seu café, dando visibilidade aos consumidores da cadeia de suprimentos, permitindo que eles entendam melhor as etapas envolvidas na criação do produto.

Os relatórios mostram que os consumidores de café consomem mais de meio trilhão de xícaras por ano. Além disso, dois terços dos consumidores, entre 19 e 24 anos, preferem comprar café cultivado de forma sustentável e de origem responsável. 

Ao usar a blockchain, o Thank My Famer permite que os consumidores façam contribuições diretas aos agricultores responsáveis ​​por fornecer seu café. Behrends observou que, à medida que forem sendo desenvolvidos novas funcionalidades ao aplicativo, os consumidores poderão apoiar os cafeicultores financiando projetos locais por meio do aplicativo.

"Queremos incentivar os consumidores a compartilhar a governança da sustentabilidade, podendo fazer contribuições enquanto vêem o impacto que ela tem nessas comunidades - para mim é isso que humaniza o café", disse Behrends.

A Sovrin Foundation fornecerá aos agricultores uma identidade digital construída sobre a blockchain. Behrends explicou:

“Estamos colaborando com a Sovrin Foundation para incorporar uma identidade auto-soberana no aplicativo. Ainda estamos desenvolvendo essa tecnologia, mas basicamente dará aos agricultores uma identidade digital, capacitando-os a possuir seus dados pela primeira vez.”

Além disso, Behrends observou que a identidade digital de um agricultor conterá credenciais e registros digitais mostrando quando um agricultor vende café a comerciantes. Os comerciantes são capazes de enviar credenciais digitais para confirmar preço, quantidade e qualidade do café aos agricultores por meio do aplicativo. Depois que tudo é aceito e confirmado pelo agricultor, é criado um registro digital de produção e renda, que é gravado na blockchain da IBM.

A identidade digital de um agricultor também será vinculada a uma conta bancária ou carteira digital no futuro, permitindo que os consumidores façam contribuições diretas aos agricultores que possam ser rastreadas completamente usando o aplicativo Thank My Farmer.

Enquanto Behrands observou que os canais de pagamento do aplicativo não estarão prontos até fevereiro, ele explicou que os consumidores que desejam apoiar os agricultores receberão um código-chave exclusivo para rastrear onde estão suas contribuições o tempo todo. Ele explicou:

"O aplicativo permitirá que os consumidores 'sigam o dinheiro' para ver quando as contribuições foram coletadas, como foram agregadas e, o que é mais importante, o que foi disperso para financiar um projeto específico."

Como isso é diferente de outras soluções baseadas em blockchain?

Enquanto o aplicativo Thank My Farmer é alimentado pela blockchain da IBM, Chang disse ao Cointelegraph que a Farmer Connect não faz parte da Food Trust Network da IBM, que atualmente consiste em mais de 200 fornecedores e varejistas de alimentos, incluindo Walmart e Carrefour. Chang explicou que o aplicativo simplesmente usa os mesmos ativos que alimentam a plataforma Food Trust.

“Pegamos os ativos da rede Food Trust e os colocamos em um ambiente dedicado para a Farmer Connect abordar a cadeia de suprimentos da indústria do café. Como resultado, a Famer Connect não precisa se preocupar com a escalabilidade, segurança e robustez da rede, pois tudo já foi comprovado pela Food Trust.”

Além disso, Chang observou que o objetivo por trás do Thank My Famer não era testar uma nova tecnologia ou conceito, mas criar um ecossistema mais sustentável para bebedores de café, agricultores, comerciantes e todos os outros envolvidos.

Isso difere de outras soluções baseadas em blockchain que permitem aos consumidores ler um código de barras QR para entender de onde vieram certos itens alimentares. Por exemplo, enquanto o fornecedor de supermercado europeu, Carrefour, incorporou a tecnologia de código de barras QR em alguns de seus produtos, os consumidores só conseguem ver de onde vieram esses alimentos. A Farmer Connect dá um passo extra ao permitir que os consumidores façam contribuições diretas aos agricultores, que é um elemento único. Behrends explicou ainda isso, dizendo:

“O aplicativo Thank My Farmer é uma iniciativa líder do setor, apoiada por toda indústria. Outros estão tentando fazer algo semelhante, mostrando aos consumidores de onde vêm seus alimentos, mas estamos abordando questões que a indústria do café também está enfrentando.”

Behrends também observou que a Farmer Connect está pensando em se expandir para outras indústrias de alimentos, onde os produtos são produzidos por pequenos agricultores, como chá e cacau.