Eu não iria nem longo nem curto no Bitcoin, diz investidor bilionário de stablecoin Druckenmiller

O bilionário norte-americano Stanley Druckenmiller redobrou sua desconfiança em relação ao Bitcoin (BTC), informou a Bloomberg em 4 de junho, citando uma recente entrevista dele.

Falando a Scott Bessent, fundador da Key Square Capital Management no The Economic Club de Nova York, Druckenmiller disse ainda não estar interessado em colocar qualquer um de seus US$ 4,4 bilhões em criptomoedas.

"Não acho que eu seja um neandertal, que é do que eu tenho sido chamado quando digo que não quero ter Bitcoin", resumiu.

Druckenmiller acrescentou que ele não iria de qualquer forma, nem longo nem curto, no Bitcoin, insinuando que não entendia a razão pela qual ele possui um valor inerente.

Seus comentários espelham os de outros pessimistas do mundo financeiro, dos quais o mais recente foi o de Peter Schiff, que apresentou argumentos semelhantes durante um acalorado debate com o autor do The Bitcoin Standard, Saifedean Ammous.

Porém, Druckenmiller não é um completo estranho para a indústria de criptomoedas. Ele investiu no projeto de stablecoin Basis no ano passado.

Como tal, a volatilidade do preço do Bitcoin representa uma grande barreira à entrada para ele.

"O que eu sei sobre o Bitcoin é que o conceito de que poderia ser um meio de troca foi eliminado porque você não pode fazer transações, particularmente transações de varejo, com esse tipo de volatilidade", disse ele em entrevista anterior à CNBC, em dezembro passado.

Desde esses comentários, o Bitcoin mais que dobrou de preço, enquanto a volatilidade de curto prazo se mantém: o BTC/USD perdeu US$ 600 em horas em 3 de junho, devido às movimentações de grandes detentores de posses em BTC.