Como empresas e investidores podem limpar o mercado de ICO

O financiamento coletivo não regulamentado é uma das principais inovações introduzidas pela tecnologia Blockchain. Este sistema de captação de recursos conquista as barreiras de classe e localização, permitindo que qualquer um participe em empreendimentos em que acreditam sem passar pelos rigorosos processos de sistemas anteriores.

Os dois lados das ICO

Para inovadores e criadores de produtos, a capacidade de arrecadar fundos através de vendas de token e Ofertas Iniciais de Moedas (ICOs) simplifica seus processos de captação de recursos e abre seus mercados para maiores oportunidades na comunidade global. Esses benefícios são responsáveis pela popularidade que as ICOs ganharam desde 2016. Vimos grandes campanhas de financiamento coletivo realizadas usando uma ICO, e dezenas de empresas estão arrecadando em qualquer lugar, de 10 a 300 milhões de dólares em questão de minutos ou dias. O montante total arrecadado pelas ICOs cresceu de US $ 200 milhões em 2016 para US $ 2 bilhões em 2017.

A incapacidade dos governos e outras autoridades financeiras de controlar ou regular essas ICO é vista como uma das principais razões pelas quais os poderes estabelecidos são relutantes em aceitar as ICOs como um modelo legítimo de capitalização. Não só isso, mas alguns jogadores não sinceros, desonestos ou desqualificados estiveram envolvidos em ICOs sombrias que deixaram membros da comunidade e reguladores preocupados com a autenticidade dessa grande inovação.

Outros problemas que estão atormentando o sistema geral ICO decorrem da não maturidade da tecnologia, que ainda está em estágio inicial de desenvolvimento. Isto resulta em:

  • Sem padrões de relatório
  • Sem padrões de lista de câmbio
  • Pouco ou nenhum regulamento na maioria dos países

Tudo mencionado acima faz com que os participantes em mercados financeiros convencionais enfrentem uma incompatibilidade de grandes expectativas quando tentem se mudar para o Blockchain.

Resolvendo o problema da transparência

O CEO do Orderbook, Andrey Zamovsky, reconhece os problemas de transparência existentes na ICO e os reconhece como um revés que pode estar abrandando o desenvolvimento da indústria como um todo. No entanto, Zamovsky observa que existem soluções para esses problemas que ele espera sejam adotadas pelos participantes da indústria.

Ele elabora algumas das soluções:

  • Padrões de relatório: Definir os padrões de relatórios para as empresas da ICO e disponibilizar os dados reportados diretamente da interface de intercâmbio permitirá que os participantes observem e compreendam as atividades internas das ICOs. Esses recursos permitirão que os investidores acessem informações detalhadas sobre a empresa que está por trás de um determinado token, como jurisdição de incorporação, tipo de instrumento financeiro, notícias recentes e assim por diante.
  • Diligência devida: Realizar uma diligência completa antes de listar qualquer token ou criptomoeda permitirá aos investidores verificar a existência real e o status legal das empresas. É necessária uma avaliação adequada dos modelos de negócios para garantir que eles sejam viáveis.
  • Compreensão dos mercados financeiros: na sua forma, a maioria dos instrumentos financeiros serão migrados para o Blockchain em um futuro próximo. Todas as ações, títulos, swaps e outros instrumentos negociados devem ser reescritos como contratos inteligentes. Para acelerar a migração, deve ser dada preferência a projetos que utilizem instrumentos testados pelo tempo e sejam entendidos por investidores convencionais, em modelos de economia de token de utilidade experimental.

Sobrevivendo com a tecnologia

Do ponto de vista das coisas, independentemente dos esforços dos governos e das agências reguladoras para proibir ou restringir ICOs, bem como a tecnologia Blockchain e as criptomoedas, elas estão aqui para ficar. À medida que o mundo fintech se move cada vez mais para a descentralização, a única opção parece tomar as formas apropriadas para garantir um ecossistema de investimento limpo em relação às ICO.

Por enquanto, inventar regras e regulamentos através de organizações centrais trairia a essência da descentralização e só causaria mais fricção na comunidade. Portanto, cabe às empresas e aos investidores adotar sistemas que promoverão a credibilidade dentro do ecossistema.

Do lado das empresas, optar pela abertura e transparência aumentará a sua reputação e as tornará mais atraentes, enquanto para os investidores, a adoção das abordagens investigativas fundamentais antes de escolher um produto vai lhes poupar muitas perdas e desgosto.