Como o Blockchain está ajudando as pessoas sem contas bancárias

Pode ser difícil de acreditar, mas dois bilhões de pessoas no mundo ainda não têm uma conta bancária.   A maioria deles vive em mercados emergentes de renda baixa e média, mas mesmo em países de alta renda, um grande número de pessoas não conseguem usar os bancos para atender às suas necessidades financeiras do dia a dia. Isso significa que eles não têm acesso à conveniência, à segurança e aos juros que os bancos oferecem.

Além disso, muitas pessoas têm acesso a uma conta bancária, mas não têm acesso adequado aos serviços financeiros que os bancos podem fornecer. Essas pessoas são conhecidas como "underbanked". Mesmo nos Estados Unidos, por exemplo, 33,5 milhões de famílias foram confirmadas em 2015 como não bancarizadas ou "underbanked", o que é mais de 25% da população!   Sem acesso a poupança e crédito, essas pessoas não podem participar do ciclo virtuoso do crescimento econômico, em vez de permanecerem em um círculo vicioso de pobreza.

Claramente, os não bancarizados e "underbanked" constituem um grande mercado que não é bem servido pelas instituições existentes. Nos países do terceiro mundo, os grandes bancos não querem estender o crédito aos "underbanked. Mesmo quando o fazem, eles cobram taxas de juros muito altas para compensar o risco.   Por um tempo, as instituições de microfinanças forneceram uma maneira para os subbancos acessarem o crédito tão necessário mas, nos últimos anos, os grandes bancos começaram a participar das microfinanças.   No processo, os juros cobrados sobre os empréstimos de microfinanças aumentaram significativamente e se tornaram uma dor de cabeça para os não bancarizados.  

Blockchain ao resgate

A tecnologia Blockchain tem o potencial de ajudar as empresas não bancarizadas e subjacentes, permitindo que elas criem suas próprias alternativas financeiras de forma eficiente, transparente e escalável. Um dos maiores desafios que os bancos enfrentam ao tentar servir o não bancarizado é que muitos deles não possuem informações de identificação claras, dificultando a implementação das práticas "Conheça seu cliente".

Com o Blockchain, os indivíduos podem receber uma identidade digital para uso em seus serviços bancários.   Os direitos de propriedade são um grande prolema para muitos indivíduos de baixa renda.Porém, com o Blockchain, seus direitos podem ser facilmente transferidos, permitindo que eles entrem em redes de informações formais e até aproveitem suas propriedades como garantia. E fazendo com que as remessas sejam indolores e eficientes, o Blockchain poderia permitir indivíduos de baixa renda em diferentes países à economizar e fazer empréstimos.

Contagem regressiva

A contagem regressiva para um futuro sem pessoas não bancarizadas já começou. Como exemplos, vamos usar alguns projetos Blockchain baseados em Ethereum que fizeram o subestimado não-bancário ser o foco principal.

A tecnologia OmiseGo permite transações e pagamentos via peer-to-peer usando uma plataforma de carteira digital.   Eles pretendem encorajar a inclusão financeira nos mercados emergentes criando uma plataforma que outras empresas (além do Omise) podem usar. Sua rede afirma descentralizar a liquidez do mercado e pagamentos de alta escalabilidade e ajudar a resolver pagamentos de pagamento do eWallet em redes emergentes. Isso pode tornar-se significativo pois, se bem-sucedido, habilitará os não bancarizados à teemr controle sobre suas vidas financeiras e acessar os serviços financeiros anteriormente indisponíveis.

Nós acreditamos: o seu produto Trusted Lending Circle (agora na versão beta) permitirá que os usuários criem associações de fundos e crédito rotativo no Blockchain. Beneficiado da transparência e finalidades oferecidas pela Blockchain, este instrumento poderia ser visto como um passo para os indivíduos construírem uma boa qualificação de crédito do Blockchain.

A Humaniq combinará o Blockchain à biometria para criar aplicativos que permitirão transações e investimentos em países do terceiro mundo. Os usuários da plataforma poderiam ganhar tokens em casa, usando procedimentos de bio-identificação e trocando esses tokens por moedas locais a partir de um aplicativo. Basicamente, aqueles sem qualquer identificação formal poderiam ter a oportunidade de criar uma bio-identificação digital diretamente de seus smartphones.

Rumo à um futuro financeiramente inclusivo

Mesmo coisas simples, como construir poupanças ou receber um empréstimo, podem ser difíceis para aqueles que não podem acessar a segurança e a conveniência de uma conta bancária. Essas pessoas não bancarizadas constituem um grande mercado pronto para adotar soluções financeiras separatórias fora do sistema bancário tradicional. O Blockchain fornece uma forma segura e escalonável para atender as necessidades desses indivíduos, e uma série de empresas de tecnologia estão o alavancando para inaugurar um novo mundo em que todos tenham acesso à poupança e ao crédito, um elemento fundamental para o crescimento econômico.