Regulador de Hong Kong divulgará novas regras para exchanges de criptomoedas

A Comissão de Valores Mobiliários e Futuros (Securities and Futures Commission - SFC), regulador financeiro de Hong Kong, publicará nesta quarta-feira um novo conjunto de regulamentos para as exchsnges de Bitcoin (BTC) e criptomoeda.

A notícia, dada pela Reuters em 6 de novembro, foi anunciada pelo presidente-executivo Ashley Alder em um evento local de fintech.

Clareza regulatória para exchanges de criptomoeda que querem operar em Hong Kong

Os novos requisitos detalharão como as exchanges abordam custódia, conformidade como as regras de Conheça seu Cliente e de combate à lavagem de dinheiro, entre outras questões.

"A estrutura permitirá que as plataformas de negociação de ativos virtuais sejam reguladas pela SFC, um grande desdobramento que se baseia no caminho a seguir que descrevi na mesma época na ano passado", disse Alder.

Como o Cointelegraph relatou, a SFC estabeleceu diretrizes para fundos e exchsnges de criptomoeda pela primeira vez em novembro de 2018. Agora, um ano depois, o regulador está levando esse trabalho adiante, Alder disse na conferência na quarta-feira.

Huobi pode se tornar a primeira exchange licenciada em Hong Kong

Comentando as notícias, a investidora privada Dovey Wan diz que este é um grande negócio para toda a indústria de criptomoedas. Ela ressalta que a Huobi em particular já pode estar a caminho de se tornar a primeira exchange licenciada em Hong Kong.

"UAU, isso é GRANDE", escreveu Wan. “A SFC de Hong Kong anunciará detalhes em cerca de uma hora sobre os critérios de solicitação de exchange de criptomoedas.” Ela acrescentou:

"Considerando que a Huobi já possui backdoor listada na HKex, isso certamente representará um grande pró para a primeira exchsnge de criptomoeda chinesa legalizada".

No início deste ano, em março, a SFC também divulgou diretrizes regulatórias para as Ofertas de Security Tokens. A agência destacou que os security tokens "provavelmente serão ‘valores mobiliários’" sob a Portaria de Valores Mobiliários e Futuros de Hong Kong e, portanto, se enquadram nas leis já existentes de valores mobiliários.