Hong Kong estende política de migração para facilitar para profissionais de DLT e FinTech

Uma nova iniciativa do governo de Hong Kong busca atrair profissionais em tecnologia de livro-razão distribuído (DLT), simplificando a política de imigração, de acordo com um comunicado publicado em 28 de agosto.

Na quinta-feira, o governo de Hong Kong publicou sua primeira Lista de Talentos destinada a atrair especialistas “altamente qualificados” em 11 áreas diferentes, incluindo fintech, DLT e segurança cibernética, de todo o mundo. O movimento designa a intenção do governo de "apoiar o desenvolvimento de Hong Kong como uma economia diversificada e de alto valor agregado".

De acordo com o comunicado de imprensa, Hong Kong facilitará os candidatos aprovados na Lista de Talentos através do QMAS (Quality Migrant Admission Scheme). O QMAS tem uma cota anual de 1.000 pessoas. O Secretário-Chefe para a Administração e Presidente da Comissão de Planejamento de Recursos Humanos, Matthew Cheung Kin-chung, disse:

“A promulgação da Lista de Talentos é uma das nossas principais iniciativas para aumentar nossas vantagens competitivas na atração de talentos internacionais, criando efeitos de aglomeração, estimulando o desenvolvimento de talentos locais e impulsionando o avanço de Hong Kong”.

Enquanto Hong Kong continua tomando ações regulatórias em direção a moedas digitais e ofertas iniciais de moeda (ICO's), afirmando que a nova tecnologia "vem com riscos", parece ter mirado em se tornar um centro internacional de blockchain.

No mês passado, a Autoridade Monetária de Hong Kong (HKMA) anunciou o lançamento de sua própria solução blockchain trade finance com 21 bancos em agosto, com o objetivo de reduzir substancialmente a burocracia, os custos e os riscos de segurança para os participantes.

Em junho, a HKMA assinou um acordo de colaboração financeira com a Autoridade Reguladora de Serviços Financeiros do Mercado Global de Abu Dhabi “para iniciar um diálogo sobre a oportunidade de construir uma rede de financiamento comercial transfronteiriça usando [DLT].” Naquele mês, a subsidiária da Alibaba Ant Financial testou suas primeiras remessas de blockchain, enviando uma transação em três segundos entre seu aplicativo AliPayHK em Hong Kong e o aplicativo de pagamento filipino GCash.

A Escola de Negócios da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (HKUST) recebeu recentemente uma doação de US $ 20 milhões para melhorar as capacidades de segurança dos sistemas de pagamento eletrônico no início deste mês.

Além disso, a HKUST, em parceria com a Universidade de Hong Kong, planeja explorar aplicações de tecnologia blockchain e discutir a possibilidade da transformação de Hong Kong em um centro de tecnologia global.