Empresas de Hong Kong começam a adotar o Bitcoin como forma de protesto

Os protestos pró-democracia e anti-governo em Hong Kong estão estimulando uma adoção mais ampla de criptomoedas como o Bitcoin (BTC).

O Yahoo! Finanças informou em 28 de agosto que a agitação política na cidade - que já entrou em sua 12ª semana - está levando vários indivíduos e empresas locais a usar moedas digitais não soberanas e descentralizadas.

Dinheiro apolítico e sem fronteiras para o movimento pró-democracia

Em 26 de agosto, a loja de departamentos Hong Kong Pricerite anunciou que começaria a aceitar Bitcoin, Litecoin (LTC) e Ether (ETH) em suas catorze unidades em Hong Kong.

O Yahoo! Finanças observa que a loja indicou que será capaz de converter rapidamente a cripto em dólares de Hong Kong usando a camada de escalabilidade da rede Bitcoin, a conhecida Lightning Network.

Juntamente com os varejistas tradicionais, a empresa de criptomoedas Genesis Block tem operado 14 caixas eletrônicos cripto em toda a cidade.

Em julho, a Genesis Block - que opera sob o nome de “CoinHere” - distribuiu água para manifestantes paga com doações internacionais em Bitcoin Cash (BCH), além de guarda-chuvas - uma referência simbólica à Revolução dos Guarda-chuvas de 2014 ocorrida na cidade.

O aumento do interesse em criptomoedas vem contra um pano de fundo de outras formas de ativismo econômico. No início deste mês, manifestantes iniciaram uma ação de sacar o máximo de dinheiro de suas contas bancárias ou converter sua moeda local em dólares americanos.

Isso tinha um propósito duplo, servindo tanto como proteção preventiva de seus bens pessoais quanto o de enviar um claro alerta às autoridades chinesas.

Já em junho, foi relatado que um número considerável de magnatas de Hong Kong - uma cidade que conta com 853 indivíduos que possuem mais de US$ 100 milhões - começou a transferir sua riqueza para o exterior.

Bitcoin é negociado com ágio em Hong Kong

Caso os protestos não consigam impedir que a polêmica lei de extradição da China se concretize, as autoridades chinesas terão o direito de exigir que os tribunais de Hong Kong congelem e confisquem ativos relacionados a crimes perpetrados no continente.

Os volumes de negociação de Bitcoin em Hong Kong subiram em junho em meio à turbulência e a moeda continua a ser negociada localmente com um ágio de várias centenas de dólares na exchage local-to-peer LocalBitcoins.