Atualização 'Muir Glacier', da Ethereum, deve adiar em 2 anos o aumento de dificuldade da rede

Uma nova atualização da rede Ethereum chamada "Muir Glacier" foi anunciada para acontecer durante o ano novo e o evento atrasará a bomba de dificuldade em 4 milhões de blocos.

Quando uma blockchain como a Ethereum realiza uma mudança crítica em seu código, a corrente é dividida em duas. O evento é chamado de hard fork.

Geralmente a nova corrente oficial é determinada num pequeno espaço de tempo, fazendo com que a nova atualização seja rodada por todos os nós da rede.

O último hard fork da rede Ethereum (Instanbul) aconteceu no mês passado, mas a comunidade de desenvolvedores já anunciou um novo fork que está programado para ocorrer no ano novo.

A rede Ethereum espera ativar em breve sua nova versão que rodará através de um sistema de consenso conhecido como Proof of Stake. Para a transição acontecer, é necessário diminuir a recompensa gerada para os mineradores - o evento é conhecido como bomba de dificuldade.

O novo hard fork será ativado no bloco 9,2 milhões e atrasará a bomba de dificuldade em 4 milhões de blocos, um período de aproximadamente dois anos.

A bomba de dificuldade deveria começar a explodir em meados de 2020, mas o alerta foi ativada alguns meses atrás. O atraso de dois anos dará aos desenvolvedores tempo para corrigir a bomba de dificuldade ou excluí-la do código da Ethereum.

A idéia dos desenvolvedores com o "Muir Glacier" é atualizar a rede em apenas uma semana, já que os tempos de bloqueio do Ethereum já aumentaram de 13 segundos para 17 segundos, e continuariam a aumentar exponencialmente a cada duas semanas se o fork não acontecesse. 

Isso faria com que as receitas da mineração do Ethereum diminuíssem para zero e as taxas de transação disparassem. Em vez disso, o fork emergencial resultará em mais dois anos de relativa estabilidade na rede Ethereum.

Em relação aos usuários comuns, a equipe comentou:

"Se você usa uma exchange (como Coinbase, Kraken ou Binance), um serviço de carteira da Web (como Metamask, MyCrypto ou MyEtherWallet), um serviço de carteira móvel (como Coinbase Wallet, Status.im ou Trust Wallet), ou uma carteira de hardware (como Ledger, Trezor ou KeepKey), você não precisa fazer nada, a menos que seja informado para tomar medidas adicionais pelo serviço de exchange ou carteira."

Nem todo mundo concorda com o caminho de desenvolvimento da rede Ethereum. Como mostrou o Cointelegraph, um engenheiro de dados da CoinMetrics detalhou os pontos negativos da nova versão da rede.