A descoberta de computadores quânticos pelo Google 'não é um risco para o Bitcoin', diz desenvolvedor

Um conhecido criptógrafo colocou água no chope dos novos temores de que os recentes avanços na computação quântica possam colocar em risco a segurança do Bitcoin (BTC).

Bitcoin vs. "supremacia quântica" do Google

Em uma discussão no Twitter em 24 de setembro, Peter Todd, ex-desenvolvedor do Bitcoin Core, liderou as críticas, que seguiram alegações do Google de que haviam alcançado a "supremacia quântica".

Em um artigo visto pela Financial Times, a gigante da tecnologia disse ter criado um computador que resolveu uma equação, que de outra forma levaria 10.000 anos, em apenas 3 minutos e 20 segundos.

"Para nosso conhecimento, esse experimento marca o primeiro cálculo que só pode ser realizado em um processador quântico", afirmou a publicação.

A computação quântica já formou uma área de contenção para proponentes de criptomoedas. Em 2017, por exemplo, especialistas dissiparam mitos de que essas máquinas poderiam minar a segurança da blockchain do Bitcoin.

"Nem sequer perto de quebrar a criptografia"

Da mesma forma, Todd agora concluiu que os impedimentos financeiros apenas para a criação mais recente do Google manteriam o Bitcoin livre de possíveis problemas.

"Isso não significa nada, porque o avanço quântico do Google é para um tipo primitivo de computação quântica que não chega nem perto de quebrar a criptografia", escreveu ele sobre a nova conquista.

Ele adicionou:

“Ainda nem sabemos se é possível escalar computadores quânticos; é bem possível que a adição de qbits tenha um custo exponencial."

No início deste mês, surgiram detalhes de que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) estava tentando pesquisar e criar criptografia resistente a quântica.