Goldman Sachs 'observando o potencial' de criar uma moeda virtual, revela CEO

O Goldman Sachs está realizando "extensa pesquisa" sobre tokenização, disse o presidente-executivo do grupo ao jornal francês Les Echos em 27 de junho.

David Solomon disse acreditar que os sistemas globais de pagamentos estão indo na direção das stablecoins — criptomoedasativos fiduciários, como o dólar americano.

Apesar de não ter confirmado se o Goldman Sachs teve discussões com o Facebook sobre a vindoura criptomoeda Libra e a carteira Calibra, Solomon disse que sua empresa acha o conceito “interessante”.

Quando perguntado se o Goldman Sachs seguirá o exemplo do JPMorgan Chase no lançamento de sua própria moeda virtual, Solomon disse:

"Suponnho que todas as principais instituições financeiras em todo o mundo estão observando o potencial de tokenização, stablecoins e pagamentos sem atrito."

Em outra parte da entrevista, Solomon previu que as regulamentações mudarão em resposta às moedas virtuais - mas disse que não acredita que novos participantes na criptosfera farão os bancos a fechar. Ele adicionou:

“Evidentemente, eles terão que evoluir, porque os negócios ligados aos fluxos de pagamento se tornarão menos lucrativos. Mas há muitas outras razões pelas quais os bancos devem permanecer inovadores, caso contrário eles desaparecerão”.

Solomon também sugeriu que os gigantes da tecnologia, como o Facebook, gostariam de evitar as restrições regulatórias que os bancos enfrentam, tornando mais provável que tentem firmar parcerias do que tomarem o caminho de se tornarem instituições financeiras.

No início desta semana, relatórios sugeriram que o JPMorgan Chase está pronto para começar a testar sua própria criptomoeda até o final deste ano.

Em abril, Solomon negou categoricamente que o Goldman Sachs já tivesse planos de abrir uma mesa de negociação de cripto durante uma audiência perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos.