Gigantes do agronegócio da América do Sul aderem à rede blockchain IBM Food Trust para redução de perdas

Desde que foi anunciado, o IBM Food Trust tem conseguido a adesão de várias grandes empresas de Walmart e Carrefour, a Nestlé e BRF. Agora, o ecossistema global de blockchain para a indústria de alimentos conta com a colaboração da Agricom e S4, duas gigantes sul-americanas da agricultura.

A América Latina corresponde a 14% da produção agrícola mundial de acordo com OCDE e a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), e é estimado que os latino-americanos tomarão mais de 25% das exportações globais do nicho. Mesmo com esses valores, o desperdício na região chega a 127 milhões de toneladas de alimentos por ano.

É neste cenário que a Agricom e a S4, dois grandes nomes da área na América do Sul, começam a participar do Food Trust Ecossystem da IBM, a fim de ter uma melhor rastreabilidade de sua cadeia de alimentos, diminuindo as perdas.

A Agricom é uma produtora e exportadora chilena de frutas frescas, com 39 anos no mercado internacional e alianças com o Peru, México, Colômbia e Estados Unidos. A empresa está incorporando o sistema de blockchain da IBM a fim de rastrear as frutas consumidas no mercado nacional e exportadas para as Américas, Ásia e Europa.

Francisco J. Martínez, gerente assistente de TI da Agricom, fala sobre a adesão à rede blockchain:

“Exportamos frutas para os Estados Unidos, Europa, Ásia, América Central e América do Sul, alcançando em 2018 exportações de 98.000 toneladas de frutas frescas. Para isso, desenvolvemos uma forte política de inovação e automação de processos em todas as áreas da empresa, que levou a usar a melhor tecnologia disponível em termos de seleção e calibração de frutas. A incorporação do blockchain para a rastreabilidade de frutas é mais um passo no caminho da excelência em qualidade que estamos percorrendo”

Com a tecnologia, a empresa espera compartilhar informações importantes sobre os seus produtos com seus parceiros de negócios, se tornar mais transparente aos consumidores finais das frutas e reduzir a perda de alimentos nas cadeias de produção e distribuição, tudo isso de forma altamente segura na blockchain.

Já a S4 é uma empresa argentina que passou pelo programa Startup with IBM e desenvolve tecnologias de redução de risco na produção agrícola com o produto S4Go, que conta com recomendações agronômicas georreferenciadas, monitoramento de cultivos via satélite e estimativa de produtividade.

Com a utilização da blockchain, a startup poderá registrar a localização geográfica dos lotes e informações técnicas no momento em que são desenhadas. Além de compartilhar informações importantes, indexando o seu crescimento e utilizando inteligência artificial, diminuindo o desperdício e criando visibilidade desde a produção.

Mariano Tamburrino, Co-Fundador e COO da S4, também falou sobre a IBM Food Trust:

“O produtor e os atores subsequentes da cadeia podem rastrear, proteger e garantir transparência na localização e no desenvolvimento de suas colheitas. Isso também possibilita a certificação futura, uma vez que o S4Go adiciona informações obtidas por meio de processos, garantindo não apenas a imutabilidade das informações, mas também a interpretação e validação das informações fornecidas pelo produtor"