Gibraltar concede primeira licença de derivativos de cripto para exchange local

A Quedex, exchange de derivados de cripto com sede em Gibraltar, assegura uma licença DLT da Comissão de Serviços Financeiros de Gibraltar (GFSC).

Quedex afirma ser a primeira exchange de futuros de cripto regulada e exchange de opções

A Quedex recebeu uma licença de Provedores de Tecnologia de Ledger Distribuído (DLT) para fornecer serviços de trading de derivativos de cripto, como futuros de Bitcoin (BTC), bem como serviços de custódia cripto, disse a empresa em um post de blog em 31 de julho.

Após a aquisição da licença, a Quedex supostamente se tornou a primeira exchange de futuros e opções de cripto do mundo, afirmou a empresa no anúncio. A fim de garantir a licença DLT, a Quedex trabalhou com as autoridades de Gibraltar por 15 meses para garantir que a empresa atenda a todos os requisitos e condições regulamentares, observa o blog.

O trading de derivativos baseado em Bitcoin está ativo

A exchange tem como alvo uma ampla gama de clientes, incluindo investidores institucionais, bem como mineradores, hedgers e traders. De acordo com as informações no comunicado à imprensa, a Quedex apoia o trading de derivativos baseados em Bitcoin até o momento, enquanto a empresa planeja introduzir várias altcoins no futuro próximo.

Wiktor Gromniak, CEO e cofundador da Quedex, disse que a licença DLT deve ajudar a trazer mais investidores institucionais para a indústria de cripto. Ele diz que isso facilitará a criação de mercados financeiros transparentes e o desenvolvimento de produtos complexos, como futuros e opções.

O ministro do Comércio de Gibraltar, Albert Isola, expressou seu apoio à aprovação da Quedex. Ele observa que as empresas licenciadas DLT ajudarão ainda mais a desenvolver a cripto em uma “indústria madura e sustentável e demonstrarão que Gibraltar está liderando o caminho neste setor”.

Recentemente, o Cointelegraph reportou sobre o GFSC conceder outra licença de DLT para o Bitso, uma exchange mexicana de cripto, com a empresa supostamente se tornando a primeira exchange regulamentada do gênero na América Latina.