A Maior Casa de Câmbio da Alemanha entregou Detalhes de Usuários à Polícia sem Ordem Judicial: Relatório

A maior troca de Bitcoin da Alemanha, Bitcoin.de, forneceu dados confidenciais de usuários à polícia sob solicitação mesmo sem ser obrigado por lei, revelou um relatório.

Uma peça exclusiva da Vice publicada na terça-feira revela "pelo menos oito casos" nos quais a Bitcoin.de, sob pressão da polícia, mas não da lei, entregou detalhes pessoais de clientes.

Os envolvidos em janeiro foram supostamente suspeitos de terem usado Bitcoin para adquirir drogas do agora extinto mercado on-line Chemichal Love.

“Estou sem palavras”

"No total, a Bitcoin.de [...] relegou detalhes pessoais associados a oito endereços, incluindo nomes reais, apelidos, local de residência, endereços de e-mail, números de telefone, totais de pedidos, detalhes bancários, transações de contas, histórico de login e endereços de IP", escreve a Vice.

Os endereços de Bitcoin envolvidos não tinham links comprovados para o Chemichal Love, mas eram meramente interessantes para a polícia e "poderiam ter" os laços necessários para fazer uma acusação.

A Bitcoin.de inicialmente se recusou a cooperar sem uma ordem judicial, explicam os documentos vistos pela publicação.

Depois de um telefonema da polícia, no entanto, "no mesmo dia [...] foi organizado e acordado que a empresa investigaria pelo menos o primeiro endereço de Bitcoin sem uma ordem judicial".

"Estou sem palavras", disse um usuário do Bitcoin.de e do Chemical Love, reagindo às revelações. "Eu pensei que este era um negócio sério e que meus dados seriam preservados com segurança".


Siga-nos no Facebook