Governo alemão aprova plano para bloquear 'moedas paralelas' privadas

O governo da Alemanha aprovou uma estratégia para a blockchain que visa impedir que as stablecoins se tornem alternativas ao dinheiro e ameacem a soberania do estado.

A Reuters informou em 18 de setembro que o gabinete da chanceler Angela Merkel aprovou a estratégia na quarta-feira pela manhã, em uma aparente tentativa de mitigar os riscos representados pela futura criptomoeda Libra da gigante das mídias sociais Facebook.

Não deixaremos a emissão de moeda "nas mãos de empresas privadas"

A Reuters cita o ministro das Finanças, Olaf Scholz, dizendo que, embora o governo deseje fortalecer ainda mais a Alemanha como um dos principais locais de tecnologia e promover a inovação em blockchain como um elemento essencial da futura Internet, o estado permanece cauteloso quanto à possível emissão de moeda em blockchain pelo setor privado:

“Precisamos proteger os consumidores e a soberania do Estado. Um elemento central da soberania estatal é a emissão de uma moeda, não deixaremos essa tarefa nas mãos de empresas privadas”, afirmou.

A nova estratégia aprovada permitirá que a Alemanha se relacione estreitamente com aliados europeus e internacionais para impedir que as stablecoins digitais se tornem moedas alternativas, além de intensificar seu diálogo com o Bundesbank para explorar os possíveis benefícios e riscos do dinheiro digital do banco central.

Alemanha e França reafirmam sua posição anti-Libra

Como relata a Reuters, o documento de estratégia revelou ainda que o governo alemão pretende apresentar nova legislação em 2019 que permita a introdução de títulos eletrônicos baseados em blockchain.

Felix Hufeld, presidente do órgão financeiro da Alemanha, o Bafin, havia dito aos repórteres na semana passada que a agência estava em "intensas discussões com o Libra". Ele expressou sua preocupação com o fato de que questões de relevância econômica crítica foram apenas levemente abordados pelos desenvolvedores do Libra:

“Fizemos perguntas, recebemos respostas. Perguntas muito específicas, respostas menos detalhadas.” 

Nesta terça-feira, Scholz disse que a Alemanha claramente teria que rejeitar uma moeda paralela como o Libra, ecoando comentários do parlamentar alemão Thomas Heilmann, bem como a firme posição anti-Libra adotada pela França.

Prometendo bloquear a aprovação do Libra em solo europeu, o ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, afirmou que a Europa deveria considerar sua própria "moeda digital pública" que desafiaria a cripto do Facebook.