FT: Diretor da EXMO libertado de seqüestro após pagamento de resgate de US $ 1 milhão

Pavel Lerner, diretor-gerente da casa de câmbio de criptomoedas EXMO e sequestrado em Kiev em 27 de dezembro, foi libertado hoje, depois de pagar um resgate de US $ 1 milhão em Bitcoin, informa o The Financial Times (FT).

Lerner foi levado em Kiev na quarta-feira, quando deixava seu escritório. A publicação on-line ucraniana Strana.ua foi a primeira a relatar que ele foi levado por "desconhecidos" em um Mercedes Benz preto.

O FT relata que foram informados sobre o pagamento do resgate por Anton Gerashchenko, um assessor do ministro do Interior ucraniano. Gerashchenko disse ao FT:

"Ele foi seqüestrado por uma quadrilha armada com a finalidade de extorquir Bitcoins. Temos informações operacionais que ele pagou mais de US $ 1 milhão em Bitcoins".

Em um artigo publicado hoje, o Strana.ua informou que fontes da polícia local acreditam que os sequestradores ficaram com receio de libertar Lerner após a história de seu sequestro receber tanta atenção.

Representantes da EXMO divulgam comunicado

Hoje a EXMO divulgou um comunicado oficial sobre o rapto de Lerner; A declaração informa que a empresa "consegui contato" com Lerner hoje e que no momento ele está seguro:

"No momento, ele está seguro e não lhe foi infligido nenhum dano físico. Apesar disso, Pavel está abalado psicologicamente; portanto, ele não fará comentários oficiais nos próximos dias".

A declaração da EXMO não faz qualquer menção ao pagamento de um resgate de qualquer montante. Na declaração, a casa de câmbio reafirmou que o sequestro de Lerner não afetou de modo algum o funcionamento normal da empresa:

"Também gostaríamos de salientar que a atividade da Pavel na EXMO não envolve acesso a ativos financeiros de nossos usuários. Isto posto, a plataforma continua operando normalmente".

No entanto, de acordo com o Twitter oficial da empresa, a casa de câmbio estava sob ataque DDoS ainda anteontem, 28 de dezembro.

A EXMO está sob ataque DDoS.

O site estará disponível dentro de meia hora.

Pedimos desculpas pelo inconveniente temporário.

Atenciosamente, equipe da EXMO

De acordo com o Strana.ua, Lerner é um cidadão russo que possui autorização de residência na Polônia e está envolvido em uma série de startups cripto/Blockchain na Ucrânia. O FT informa que a EXMO está oficialmente registrada no Reino Unido, mas tem "operações na Ucrânia".

De acordo com a declaração oficial da EXMO de hoje, as investigações sobre o sequestro de Lerner continuam e as identidades dos sequestradores ainda são desconhecidas. Uma vez identificados, os responsáveis podem enfrentar até cinco anos de prisão, de acordo com o artigo 146.2 do Código Penal da Ucrânia, que abrange o sequestro por "fins mercenários" ou por um grupo de pessoas "de forma premeditada".