Quatro das maiores farmacêuticas norte-americanas se unem a projeto blockchain para gestão de chargebacks

A Pfizer Inc. e outras importantes empresas farmacêuticas norte-americanas se juntaram a um projeto para construir uma rede blockchain para a indústria farmacêutica e de saúde, de acordo com um comunicado desta quinta-feira, 2 de maio.

A McKesson Corporation, a AmerisourceBergen Corporation, a Premier Inc. e a Pfizer Inc. juntaram-se ao grupo de trabalho de Contratação e Cobrança de Projetos da MediLedger.

O MediLedger - que é uma iniciativa da Chronicled Inc., uma empresa de tecnologia blockchain sediada em San Francisco - foi projetado para reduzir custos e tornar os processos mais eficientes no compartilhamento de dados, desenvolvendo uma rede comum. A solução automatizará os processos de reconciliação de contrato e cobrança retroativa.

Os chargebacks - transações canceladas ou contestadas - são uma ocorrência comum ao longo da cadeia de suprimentos nos Estados Unidos, onde vários atores, incluindo programas governamentais e seguradoras privadas, estão envolvidos no pagamento.

De acordo com o comunicado, a rede já conseguiu estabelecer um protocolo para verificação de medicamentos devolvidos e está em conformidade com os atuais regulamentos da Lei de Segurança da Cadeia de Abastecimento de 2019. Os dados dos participantes serão supostamente compartilhados somente com parceiros comerciais escolhidos, já que a plataforma não fornece um repositório central de todos os dados.

Comentando sobre a cooperação, o CTO da Chronicled, Maurizio Greco, disse que "podemos projetar [o sistema blockchain] para que apenas o detentor da licença possa criar registros para seus próprios produtos, por exemplo. Isso pode parecer uma ilustração simples, mas revolucionária."

A blockchain vem ganhando força na indústria de saúde e bem estar. Recentemente, o principal fornecedor de tecnologia de informação em saúde para o governo dos EUA, a HMS Technologies Inc. (HMS), revelou que integrará a plataforma blockchain Solve Care em suas iniciativas federais de tecnologia da informação em saúde. O movimento irá reduzir os custos de saúde do governo e melhorar a interoperabilidade e acessibilidade.

Na Coreia do Sul, o Gil Medical Center entrou em um acordo com o marketplace de dados médicos Longenesis para criar uma solução de gerenciamento de dados de saúde baseada em blockchain. Isso aumentará a eficiência da coleta de dados, melhorará os processos de pesquisa médica e garantirá o gerenciamento transparente dos dados do paciente.