Primeiro trimestre de 2019 é o melhor para as criptomoedas desde 2017, aponta pesquisa

O primeiro trimestre deste ano foi o melhor para a indústria de criptomoedas desde 2017 com volume de negociação e preços globais dos criptoativos registrando ganhos e forte tendência de alta, segundo análise do fundador e pesquisador da IronChain Capital, Anton Muehlemann, publicada no blog da organização estudantil Blockchain at Berkeley, da Universidade da Califórnia.

A publicação, que analisou dados de 192 exchanges de criptomoedas em todo o mundo, constatou que a participação do mercado norte-americano cresceu pela primeira vez desde 2017, chegando a 10% do volume (US$ 650 milhões/dia) global em março, número ainda muito distante dos mercados asiáticos que detém participação de 80% nas negociações com criptos.

De acordo com a análise:

“Entre 1º de janeiro e 1º de abril, os preços de quatro dos dez ativos digitais mais negociados tiveram ganhos significativos. O ativo com melhor desempenho foi o Litecoin com + 89%. O Bitcoin registrou um ganho moderado de 7%, enquanto Ether e Bitcoin Cash permaneceram nos mesmos níveis.”

Entre as criptos com desempenho negativo no período estão o Ripple (XRP) e o Ether Classic (ETC) que recuaram 15% e 10%, respectivamente. A stablecoin USDT apareceu pela primeira vez na lista dos ativos mais negociados.

Globalmente, a atividade comercial aumentou durante o trimestre, de US$ 3,7 bilhões em janeiro para US$ 6,6 bilhões ao dia em março, com dezesseis exchanges responsáveis por 90% da negociação global. A maior exchange em negociações por dia no trimestre foi a OKEX, com US$ 600 milhões em criptomoedas transacionadas.

Ainda de acordo com a publicação, a Coreia do Sul foi responsável pela maioria das negociações entre moedas fiat e criptoativos nos primeiros três meses do ano, embora globalmente responda por apenas 15% do comércio global. O Dash foi utilizado em quase 100% dos negócios fiat com a moeda coreana.