Pesquisa da Fidelity Investments: 22% dos investidores institucionais possuem ativos digitais

A empresa norte-americana de gestão de ativos Fidelity Investments divulgou os resultados de uma pesquisa mostrando que 22% dos investidores institucionais já possuem ativos digitais, de acordo com um comunicado publicado nesta quinta-feira, 2 de maio.

A publicação afirma que a empresa entrevistou 411 investidores institucionais dos EUA, dos quais 40% disseram que estão abertos a futuros investimentos em ativos digitais nos próximos cinco anos. Além disso, quase metade (47%) dos entrevistados disseram que veem um lugar para os ativos digitais em seus portfolios.

A maioria dos investidores (72%) prefere comprar produtos de investimento em criptomoedas, enquanto 57% preferem comprar diretamente ativos de criptomoedas e outros 57% preferem comprar um produto de investimento que detenha empresas de ativos digitais. Tom Jessop, presidente da Fidelity Digital Assets, comentou os resultados:

"Vimos um amadurecimento do interesse em ativos digitais, como fundos de hedge de criptomoedas para investidores institucionais tradicionais, family offices e endowments."

Quando se trata do motivo por trás de seu interesse em ativos digitais, 46% dos entrevistados acham que a baixa correlação com outros ativos é a característica mais atraente das criptos. Consultores financeiros (74%) e family offices (80%) veem as características dos ativos digitais de forma mais favorável.

Por outro lado, a regulação pouco clara, a volatilidade, o histórico limitado e a falta de fundamentos foram citados entre os obstáculos para investir em ativos digitais.

Como informado pelo Cointelegraph no início desta semana, um ex-executivo do banco de investimento britânico Barclays, Chris Tyrer, entrou para a Fidelity Digital Assets, plataforma de criptomoedas da Fidelity Investments.

No mesmo dia, uma pesquisa diferente descobriu que 11% da população norte-americana possui a principal criptomoeda, o Bitcoin (BTC).