Enfrentando hiperinflação, a Venezuela emite uma criptomoeda suportada pelo petróleo

A Venezuela, o país atormentado pelar pressão da hiperinflação nos últimos anos, anunciou que vai emitir uma criptomoeda de estado respaldada pelo petróleo, chamada "Petro", em uma tentativa de fortalecer sua economia em dificuldades. O anúncio vem como resultado da adoção massiva do Bitcoin na nação.

O anúncio feito pelo presidente Nicolás Maduro foi recebido por ânimo da audiência, já que o líder afirmou que, para a Venezuela, o século 21 chegou. No entanto, os líderes da oposição sugeriram que a criptomoeda exigiria aprovação do Congresso e provavelmente nunca veria a luz de dia.

Sanções dos EUA

O rápido declínio da moeda do país, o Bolívar, é pelo menos parcialmente o resultado de sanções financeiras impostas pelos EUA. Maduro espera que uma criptomoeda permita que o dinheiro se movimente no país através de canais que atualmente não são acessíveis por outros governos. Maduro disse que a nova criptomoeda permitiria ao país:

"Avançar em questões de soberania monetária, fazer transações financeiras e superar o bloqueio financeiro".

Embora tal criptomoeda potencialmente ofereça um meio de evasão para o governo do país, amarrá-lo às reservas de petróleo, gás e diamante pode ser extremamente complexo. Alguns líderes da oposição sugerem que Maduro pode procurar pagar dívidas internacionais pendentes com a moeda emitida pelo Estado.


Siga-nos no Facebook