Fintech atrai atenção do Banco Central do Brasil e da Visa por solução em blockchain para pagamentos instantâneos

De olho no novos sistema de pagamentos do Brasil que vem sendo debatido no Banco Central, a fintech brasileira Swipe usa a tecnologia blockchain para se firmar no mercado e angariar novos clientes, segundo reportagem publicada em 12 de setembro, pela revista Exame.

De acordo com a publicação, a fintech foi criada em 2017 por Eduardo Nuzzi, Marcelo Martins e Vitor Almeida, “Eu e o Marcelo trabalhávamos em uma subadquirente. Queríamos unir o setor de pagamentos com atualizações tecnológicas, como blockchain”, afirma Almeida.

Segundo a reportagem, nas carteiras da Swipe, é possível fazer transferências e usar serviços como pagar contas e fazer recargas de aplicativos de carona, celular e vale-transporte. As empresas contratantes oferecem novidades aos clientes e usam os dados anonimizados para estratégias de criação de produtos e de marketing. Exemplos são as fintechs PitayaBank e StarPay, mas a Swipe está negociando com instituições financeiras maiores e espera atender também varejistas buscando oferecer soluções financeiras a seus clientes.

A revista destaca ainda que as soluções da empresa atrairam a atenção do próprio Banco Central do Brasil e da gigante mundial de cartões, Visa, "O Banco Central buscava projetos que validassem a discussão sobre pagamentos instantâneos e a tecnologia da Swipe cumpria os requisitos colocados pela instituição".

“Já enxergávamos potencial em trabalhar com fintechs e o melhor formato para atrair as startups foi com um programa de aceleração para negócios em estágio de crescimento. Conseguimos ajudá-las com nossas conexões com instituições financeiras e nossa experiência com mentorias de executivos”, afirma Érico Fileno, diretor de inovação da Visa.

A reportagem também destaca que a fintech vem ampliando o escopo de ser serviços e espera promover outras funções já em 2020.

Como noticiou o Cointelegraph, sobre soluções de pagamento, a Mastercard fez uma parceria com a empresa de blockchain R3 para desenvolver uma solução de pagamento transfronteiriça. As duas empresas planejam desenvolver um programa piloto para uma nova solução de pagamento internacional, habilitada para blockchain.