Golpe de saída? Exchange com sede em Dublin Bitsane desaparece com os fundos dos usuários

A Bitsane, exchange de criptomoedas sediada na Irlanda, aparentemente desapareceu, levando consigo os depósitos até 246.000 usuários de cripto. A notícia foi divulgada pela Forbes em 27 de junho.

Lançada em 2016, a Bitsane LP registrada em Dublin foi listada anteriormente como uma das exchanges aprovadas pela Ripple - um artigo de janeiro de 2018 da CNBC também lançou a exchange como uma opção para investidores que buscam negociar XRP antes de sua listagem em grandes plataformas como a Coinbase.

De acordo com a Forbes, os saques de usuários na Bitsane começaram a dar errado em maio deste ano, citando alegadas razões técnicas como o motivo de sua desativação temporária. Em 17 de junho, tanto o site da Bitsane quanto suas contas de mídias sociais foram deletadas, com e-mails para as contas da Bitsane retornando como "impossível de serem entregues".

Além disso, nem o CEO da exchange - Aidas Rupsys - nem seu diretor de tecnologia, Dmitry Prudnikov, puderam ser contatados pela Forbes durante a investigação da revista sobre o caso. No momento desta publicação, o perfil do LinkedIn de Prudnikov parecia ter sido excluído.

Em 30 de maio de 2019, a Bitsane contava com 246 mil usuários registrados, com um volume diário negociado de pouco mais de US$ 7 milhões em 31 de março, de acordo com o CoinMarketCap.

Grupos de usuários na plataforma de mensagens Telegram e Facebook mostram usuários que alegam ter perdido até US$ 5.000, com a Forbes citando um residente não identificado dos EUA que diz ter 150.000 dólares em XRP e Bitcoin (BTC) na exchange antes do desaparecimento da empresa.

A Forbes ainda relata uma empresa separada, incorporada no Reino Unido como Bitsane Limited por Maksim Zmitrovich em agosto de 2017, que aparentemente tentou comprar os direitos intelectuais do código da Bistane e usá-lo como base para sua própria plataforma, chamada Azbit.

De acordo com Zmitrovich, a empresa assumiu o nome de Bitsane para cumprir uma condição definida pelos desenvolvedores da Bistane, mas a parceria desejada entre as duas empresas não se materializou.

Em um post publicado no início deste mês, Zmitrovich negou veementemente qualquer vínculo substancial entre a Azbit e o aparente golpe de saida, observando que a equipe da Bitsane não respondeu a nenhuma de suas tentativas de contato desde abril deste ano.

Enquanto a Forbes observa que vários usuários da Bistane baseados nos EUA alegaram ter apresentado reclamações ao F.B.I, atualmente permanece incerto qual solução será dada para as pessoas afetadas pelo desaparecimento da plataforma.

No início deste mês, surgiram relatos de que a exchange cripto polonesa Coinroom teria encerrado suas operações e desaparecido com fundos de clientes, tendo notificado os usuários de que eles tinham apenas um dia para retirar os fundos antes que seus contratos fossem rescindidos.