NovaDAX zera taxas no Brasil e oferece diversas vantagens para negociação de 17 criptomoedas

A NovaDAX, exchange brasileira que pertence ao grupo chinês Abakus, iniciou uma campanha ousada no início de 2020.

As taxas de negociação da plataforma foram zeradas e não haverá cobrança durante o mês inteiro de janeiro.

A NovaDAX tem 17 criptomoedas listadas, incluindo Bitcoin, Ethereum e Ripple. Além de livro de ofertas BRL-Cripto e Cripto-Cripto integrados, função Stop-Limit, API com pacote SDK em Python/Java e aplicativo para IOS/Android. E, para completar, promove regularmente uma série de vantagens aos seus clientes

A cada lançamento de novas criptomoedas, são selecionados pares BRL, BTC e USDT para negociação, assim dando a quem negociar as criptomoedas escolhidas um bônus na mais nova moeda da plataforma. 

No dia 15 de janeiro será lançada a moeda BNB que acompanhará mais uma promoção especial de lançamento.

Além de tudo isso, a exchange também promove uma competição de trading entre os investidores, com prêmios em criptomoedas como BTC, ETH e Litecoin.

A NovaDAX, lançada no Brasil em 2018, é a única do país com order book fiat-cripto e cripto-cripto, e aposta na eficiência como diferencial de mercado, oferecendo alta liquidez através uma grande rede global de parceiros, que inclui gigantes como Binance e Huobi.

A NovaDAX também possui a negociação exclusiva de algumas moedas no Brasil, casos de Cardano, Iota, Tron, BTT e Chainlink - este último listado em novembro de 2019.

O API Trader também está com taxas promocionais de 0,07%, oferecendo documentação de negociação completa e intuitiva para os usuários. Além, de ter sido desenvolvido em Python e Java, o que reduz o tempo de desenvolvimento em até 80%, segundo informações da própria empresa.

O Grupo global de tecnologia Abakus, que compreende a NovaDAX, é um gigante chinês que atua principalmente com big data, inteligência artificial (AI) e machine learning e figurou por quatro vezes consecutivas entre as 50 maiores marcas da China segundo a KMPG e o Facebook, de 2014 a 2018.

A Abakus também busca fechar uma cooperação estratégica com o Banco Original, que visitou o grupo de tecnologia duas vezes para tratar da parceria, sendo a última no fim de novembro de 2019.