Ex-dono da Anubis Trade, Matheus Grijó é condenado a ressarcir cliente da empresa em mais de R$ 100 mil

Meses depois da venda da plataforma de negociação de criptomoedas AnubisTrade para a Atlas Quantum, o ex-dono da empresa, o empresário Matheus Grijó, foi condenado pela Justiça de São Paulo a ressarcir um dos clientes da empresa em mais de R$ 100 mil, referentes a cerca de 3 Bitcoins presos na empresa. A notícia é do BeInCrypto.

Segundo a matéria, apesar da polêmica e repentina venda da AnubisTrade para a Atlas Quantum, que já vivia grave crise na época, Grijó ainda poderá ser responsabilizado pelos eventuais danos causados a clientes pela venda por até dois anos, assim como a Justiça pode determinar seus bloqueios de bens e das empresas envolvidas.

Os clientes da AnubisTrade também passaram a sofrer dos mesmos problemas da Atlas Quantum logo que a empresa foi adquirida, causando revolta dos investidores, que não teriam sido avisados das negociações de venda. Estima-se que 140 BTCs ainda estejam presos na AnubisTrade, diz o texto.

No caso específico, Grijó é citado como um dos réus em processo que pedia ressarcimento de cerca de 3 BTCs, equivalentes a mais de R$ 103.000 reais. A Justiça considerou a cotação do dia 27 de novembro para calcular o montante.

Grijó e os réus devem pagar o montante em até 5 dias, sob pena de multa diária e bloqueio de bens dos envolvidos:

“Diante da relevância da fundamentação alinhada, antecipo os efeitos da tutela recursal e determino a intimação das agravadas para que depositem nos autos o valor de R$ 103.074,12, correspondente a 3,01932721 BTC, segundo a cotação de 27.09.2019, no prazo de cinco dias, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00, limitada a R$ 100.000,00.”

Logo depois da venda da AnubisTrade para a Atlas Quantum, em agosto, o Cointelegraph Brasil pediu uma posição de Grijó sobre os saques atrasados, mas ele disse que a responsabilidade agora cabia à nova proprietária da plataforma.

A reportagem entrou em contato com Matheus Grijó para comentar a decisão judicial, mas ainda não obteve resposta. Este texto será atualizado assim que houver mais informações.