Ethereum perde 42% de seu hash rate desde sua maior alta e se torna mais vulnerável à ataques

Dados recentes revelados pela empresa Longhash, o hash rate do Ethereum caiu 42% em relação à maior alta de todos os tempos da criptomoeda, registrada em agosto de 2018. O valor de capitalização da plataforma líder de contratos inteligentes também caiu 85% em relação ao pico de janeiro de 2018.

Hash rate é a taxa de poder computacional que uma rede de criptomoedas utiliza para o processamento de suas transações. Quanto maior o hash rate, mais segura e robusta fica a rede.

A taxa de hash de uma rede é uma métrica útil para avaliar a integridade de uma blockchain que funciona através da prova de trabalho.

Este número também indica como é fácil para um hacker lançar um ataque de 51% na rede. Por este padrão, no entanto, o Ethereum parece especialmente vulnerável.

Neste momento o Ethereum apresenta uma queda de 42% em relação ao recorde de agosto de 2018.

Para efeitos de comparação, o Bitcoin também experimentou um pico significativo de taxas de hash no meio do ano passado. No entanto, o hash rate do Bitcoin, ao contrário do Ethereum, desde então continuou a crescer e agora possui uma taxa de hash que é 22% maior do que no pico de 2018.

Como está agora, segundo o site Crypto 51, um hacker poderia desligar a rede Ethereum com um ataque de 51% por uma hora, com pouco mais de US$ 142.000.

O ataque é extremamente improvável, mas aponta para um problema que o Ethereum está enfrentando: sua rede simplesmente não está ficando mais forte. 

Muitos apontaram o preço em declínio do Ethereum como o motivo da queda da taxa de hash. É verdade que o Ethereum diminuiu cerca de 85% em relação ao Bitcoin desde o auge do mercado de alta, há um ano e meio. No entanto, o preço do Bitcoin também sofreu ao longo de 2018 mas conseguiu recuperar e ultrapassar sua taxa de hash anterior.

A verdadeira razão pode ser o fato de que agora existe uma concorrência significativa entre outras plataformas de criptomoedas.

EOS, Tron e Tezos, entre outros, estão todos competindo ativamente com o Ethereum e têm mainnets em pleno funcionamento. O Ethereum não é mais a única plataforma com uma rede funcional no jogo.

Apesar dos concorrentes, o Ethereum ainda detém a maior comunidade de desenvolvedores e a maior quantidade de Dapps criadas. Conforme reportado pelo Cointelegraph, a San Francisco Open Exchange (SFOX) defende que o Ethereum não deve ser mais considerada uma altcoin.