Consórcio Ethereum lança nova ferramenta empresarial com inputs da Microsoft e Intel

lA organização de padrões blockchain Enterprise Ethereum Alliance (EEA) lançou duas novas especificações mirando a aceleração e aprimoramento da implementação blockchain para empresas. A notícia foi enviada ao Cointelegraph em dois press releases de 13 de maio.

A EEA, que conta com mais de 500 membros, descreve-se como uma "organização padrão cujo papel é desenvolver espeficificações blockchain abertas que comandam a harmonização e interoperabilidade.”

Os membros da EEA incluem a empresa de consultoria global Accenture, os bancos Santander e JPMorgan Chase, a incubadora blockchain ConsenSys, a auditora do Big Four EY, as gigantes de tecnologia Intel, Microsoft e IBM e o consórcio blockchain R3.

Uma das especificações recém-lançadas de hoje é um conjunto de interfaces de programação de aplicativos (APIs) padrão — publicada como EEA Off-Chain Trusted Compute Specification V1.0 — que suporta trabalho de desenvolvimento com programas para transações blockchain que demandam privacidade, serviços oracke e cargas de trabalho com uso intensivo de computação.

A solução off-chain seria desenhada desenhada para permitir que empresas escolham a tecnologia de computação confiável mais apropriada para seu caso de uso — suportando métodos como Trusted Execution Environments, Zero-Knowledge Proofs e Trusted Multi-Party-Compute.

Em uma declaração da companhia no comunicado, o diretor-executivo EEA Ron Resnick reconheceu, em particular, a contribuição de membros da EEA, como Microsoft, Intel, Banco Santander e ConsenSys.

Ele observou que muitos casos de uso de blockchain corporativo exigem soluções complexas de “privacidade, segurança, taxa de transferência e latência” e, portanto, que:

“Transferir temporariamente algumas transações para a computação em outro lugar e, em seguida, retornar um resumo para a cadeia principal é um método promissor para atingir tais requisitos.”

O lançamento paralelo da EEA é a Enterprise Ethereum Client Specification V3, que serviria pra simplificar e tornar os sistemas de permissão de clients mais flexíveis.

Para desenvolver a última especificação, o Grupo de Trabalho de Normas Técnicas da EEA abordou questões de desempenho e interoperabilidade com base no feedback dos usuários e de grupos de interesse especial da EEA.

Ela também precisou da esperiência de implementação e feedback dos clientes para o softwares blockchain corporativos BlockApps, Clearmatics, ConsenSys e JPMorgan Quorum.

Como o Cointelegraph noticiou em abril, a EEA lançou uma Token Taxonomy Initiative de blockchain neutro que procurará definir tokens em termos não técnicos e entre setores, em uma tentativa de impulsionar a adoção de token corporativo em grande escala.