Afri Schoeden, da cliente da Ethereum Parity, deixa redes sociais em meio a disputas na comunidade

Afri Schoeden, gerente de lançamento da Parity Technologies, uma empresa de infraestrutura de blockchain, se retirou das redes sociais em meio a uma série de brigas internas na comunidade Ethereum (ETH).

Em um tuíte postado em 17 de fevereiro, Schoeden afirmou que "até segunda [...] notificação, eu não responderei mais a Gitter, Skype, Discord, Slack, Wire, Twitter e Reddit."

A Parity Technologies é uma provedora de infraestrutura blockchain sediada no Reino Unido, conhecida principalmente por desenvolver um dos clientes mais conhecidos da Ethereum, também conhecida como Parity. O futuro protocolo "Polkadot” da Parity - uma forma de “para chain” que liga muitos tipos diferentes de blockchains - tem previsão de lançamento no terceiro trimestre de 2019.

A decisão de Shoeden de sair temporariamente do espaço de redes sociais parece ter sido motivada pelas respostas antagôncas a uma série de seus tuítes na semana passada, todos já excluídos.

Um dos mais controversos, tuitou em 14 de fevereiro, supostamente alegou que a "Polkadot oferece o que a Serenity deveria ser" - a Serenity (ou "Ethereum 2.0") sendo a atualização final para a rede Ethereum, quando a mainnet fará a transição para uma prova de consenso (PoS).

Nesse mesmo dia, Shoeden também teria fica com os ânimos exaltados com seu tuíte em relação às supostas limitações da Cadeia de Beacon (fase 0 da transição para a PoS da Ethereum), alegando:

“A Fase 0 da #Serenity será uma cadeia de balizas de prova apenas interessante para os investidores (apostas), sem funções de transição de EVM, sem contratos inteligentes, portanto sem d-apps. E, no entanto, ainda olhamos para outro cronograma de cerca de 18 meses para lançar a fase 0 em 2020.”

Um dos principais votantes respondeu às alegações de Schoeden alegando que seu trabalho de desenvolvimento na Polkadot estava em conflito direto com a transição para Serenity, e acusou Shoeden de ser supostamente "instrumental em adiar o lançamento do Constantinopla de outubro para 16 de janeiro e novamente de 16 de janeiro para 27 de fevereiro.”

Em relação a esta última acusação, o recente atraso do hard fork Constantinopla - um dos dois upgrades de todo o sistema que constituem a terceira etapa da rede (Metropolis) de desenvolvimento no caminho para Ethereum 2.0. - teve pouco a ver com a Parity. O adiamento anterior do Constantinopla em outubro, por sua vez, foi devido a um problema de consenso que foi detectado na rede de testes de Ropsten, afetando tanto Parity quanto o cliente Ethereum.

Após o ataque de críticas que surgiram em resposta a sua provocante declaração Polkadot v.s. Declaração Ethereum 2.0 - com um redditor zombando de Afri como “o Judas de nossa comunidade Ethereum” - Schoeden tuitou em 15 de fevereiro:

"Eu quero esclarecer que eu escrevo este tuito para agitar a discussão, não para cimentar uma narrativa."

Até o momento, os representantes da Parity não responderam ao pedido da Cointelegraph para comentar a decisão de Schoeden de se afastar da discussão. Notavelmente, os desenvolvedores do núcleo Ethereum - incluindo Jeff Coleman e Hudson Jameson - tuitaram seu firme apoio a Schoeden após seu anúncio.

Como relatado recentemente, o grupo de desenvolvedores do núcleo Ethereum está atualmente discutindo um controverso novo conjunto de recursos de criação de contrato inteligente a ser lançado com o Constantinopla, batizado de Create2, que alguns allegam ter implicações negativas de segurança se não forem suficientemente revisados.