Especialista em análise gráfica, Fausto Botelho diz: 'Momento certo para comprar Bitcoin é agora'

Fausto Botelho, um dos mais importantes analistas gráficos do país, está otimista com uma possível alta do Bitcoin. Em vídeo publicado recentemente, o especialista destaca as tendências de alta da mais famosa das criptomoedas, além de abordar projeções positivas para outras altcoins.

No vídeo do portal "Seu Dinheiro", Botelho destaca que a moeda pode estar entrando em uma nova onda impulsiva. “E isso tem tudo para ser classificado posteriormente como a onda 1 desse novo processo de alta”.

Para explicar o movimento, o especialista utiliza a teoria de Ondas de Elliot, que se baseia nas repetições dos padrões de comportamento do mercado.

Para os investidores que seguem essa teoria, a terceira onda é a mais esperada, pois é considerada a onda mais poderosa e de maior e mais rápido crescimento.

Explica Botelho:

“Um processo de alta é composto por três movimentos de alta. Eu acho que nós chegamos no primeiro movimento que a teoria de Elliot chamava de onda um”.

Sobre o melhor período para comprar Bitcoin, Botelho compara o investimento na criptomoeda à plantação de uma árvore e destaca que este é o momento certo:

“É a mesma coisa que plantar uma árvore. A melhor hora para plantar uma árvore foi há 20 anos. E a segunda melhor hora é hoje”, destaca. E acrescenta:

“Qualquer pessoa hoje tem que pensar em ter um pouco de Bitcoin”.

Criptomoedas "para ficar de olho"

Em seu comentário, Botelho ainda pontuou as tendências de crescimento de altcoins "para ficar de olho", como Ethereum (ETH), EOS e Chainlink (LINK).

Enquanto que o ETH e o EOS apresentam possibilidade de alta de 30% e 40% respectivamente, a onda do LINK pode impulsionar uma valorização de 130%.

Não é de hoje que Fausto Botelho se mostra um defensor dos investimentos em criptomoedas.

Como noticiou o Cointelegraph, de acordo com as previsões do especialista, a adoção em massa e o alcance cada vez maior da indústria cripto impulsionará um novo ciclo para o Bitcoin, que pode atingir a casa dos US$ 350 mil.