Historiador econômico Niall Ferguson: a cripto 'não será um delírio total'

O historiador econômico e financeiro britânico Niall Ferguson diz que as criptomoedas não se tornarão um delírio total, como ele entendia antes.

O historiador - que escreveu um livro sobre a história das moedas chamado "The Ascent of Money" - deu suas declarações em um evento privado durante a Cúpula de Negócios da Australian Financial Review (AFR) no início desta semana, informou a própria AFR em 6 de março.

"Eu estava muito errado. Errado pensar que não havia [...] uso para uma forma de moeda baseada na tecnologia blockchain", disse Ferguson. Notavelmente, a partir do mês passado, ele participa do conselho consultivo da emissora de stablecoin algorítmica (não atrelada ao fiduciário) Ampleforth.

Admitindo que seu conhecimento da história da inovação financeira e das moedas fiduciárias o predispôs contra a ideia inicialmente, ele apontou para os recentes movimentos de preços do Bitcoin como uma indicação de sua longevidade e resiliência.

Permanecendo crítico da ascensão especulativa do ativo à altas de todos os tempos para US$ 20.000 no final de 2017, Ferguson na sequência falou afirmativamente sobre a correção do Bitcoin para 3.000-4.000 dólares e nada sobre a moeda estar sendo negociada bem acima de um colapso total de preço:

"Não acho que isso acabará como um delírio total."

Além disso, o historiador teria questionado se as criptomoedas com garantia fiduciária acabariam por criar uma nova forma de dinheiro - com a AFR erroneamente propondo o Bitcoin como um exemplo de tais moedas indexadas ao fiduciário.

Ferguson também supostamente sugeriu que a não-correlação da cripto às classes de ativos tradicionais pode torná-lo atraente para certos investidores.

Situando a cripto dentro de uma perspectiva mais ampla, Ferguson supostamente previu que a próxima década anunciará uma era muito mais inovadora da história financeira do que os dez anos anteriores, o que ele considera ter sido dificultado pela rigorosa regulamentação após a qebra financeira de 2008. "Este será um momento verdadeiramente revolucionário", disse à AFR.

Como o Cointelegraph relatou, Ferguson caracterizou recentemente que o Bitcoin (BTC) é “uma opção sobre o ouro digital”, observando que é difícil confiscar e funcionar como uma forma de seguro. Ele também expressou seu ceticismo em relação às stablecoins garantidas pelo fiduciário, sugerindo que os investidores gostem da particularidade do Bitcoin e da nascente classe de ativos cripto.