Grande supermercado holandês adota blockchain para tornar transparente a produção de suco de laranja

A Albert Heijn, a maior cadeia de supermercados da Holanda, revelou que está usando o blockchain para tornar a cadeia de produção de seu suco de laranja transparente, informou a International Supermarket News em 21 de setembro.

A Albert Heijn lançará o novo sistema blockchain em parceria com seu fornecedor, a Refresco. Para fornecer aos clientes o máximo de informações sobre a origem do produto “sustentável” de marca própria da Albert Heijn, eles poderão escanear um código QR na embalagem de suco de laranja que rastreará a rota de ponta a ponta de sua produção, no Brasil até os Países Baixos.

O sistema armazenará dados que revelam os índices de qualidade e sustentabilidade de vários produtores, bem como informações sobre os frutos - incluindo o período de colheita e a intensidade de doçura. O sistema permitirá ainda aos clientes dar gorjetas usando a opção “Like2Farmer”.

A diretora comercial da Albert Heijn, Marit van Egmond, é citada dizendo que:

“Queremos dar uma contribuição ativa em questões importantes para nossos clientes — tornando nossos produtos mais saudáveis, reduzindo o desperdício de alimentos e limitando nosso impacto no meio ambiente. A transparência na cadeia está se tornando cada vez mais importante”.

Como publicado anteriormente, a tecnologia blockchain vem ganhando força na indústria global de alimentos.

Em junho, o governo do estado de Kerala, no sul da Índia, anunciou que usaria a tecnologia para suprimento e distribuição de alimentos, considerando que um sistema blockchain poderia tornar mais eficiente a rede de abastecimento do estado para laticínios, vegetais e peixes. No mesmo mês, a Microsoft revelou uma nova parceria para desenvolver sua própria plataforma de rastreamento de produtos baseada em blockchain para garantir a rastreabilidade e a visibilidade em toda a cadeia de suprimentos.

Em abril, a gigante de varejo dos EUA  Walmart anunciou que estava pronta para usar blockchain em seu negócio de alimentos perecíveis. Juntamente com a IBM, a empresa desenvolveu um sistema que, segundo ela, reduzirá o desperdício de alimentos, além de melhorar o gerenciamento de contaminação e a transparência.