Bilionário holandês John De Mol abre processo contra o Facebook por propaganda cripto fraudulenta

John De Mol, um bilionário holandês responsável pelas versões locais dos programas Big Brother e The Voice, abriu uma ação contra o Facebook por anúncios que usaram sua imagem sem permissão, segundo a Reuters reportou em 5 de junho.

Segundo a matéria, as propagandas promoveram fraudes de criptomoedas usando a imagem de Mol, o que teria afetado sua reputação. A propaganda em questão teria promovido negócios falsos relacionados a criptomoedas ou encorajado usuários a enviar dinheiro para comprar Bitcoin (BTC), ao mesmo tempo alegando que os projetos teriam o envolvimento ou o apoio de Mol.

De acordo com a Reuters, os advogados de Mol dizem que os clientes teriam perdido €1.7 milhões (mais de US$ 1,9 milhões) como consequência de tais ações, completando dizendo que outras celebridades holandesas também foram alvo da propaganda enganosa. Jacqueline Schaap, uma das advogadas, destacou que o Facebook deve prevenir que estes incidentes aconteçam, e que o processo de seleção atual não é suficiente:

“Não sei em qual realidade vive o Facebook, mas ela não funciona.”

Rob Leathern, diretor de gestão de produtos do Facebook, teria dito a jornalistas que a empresa "leva muito a sério anúncios enganosos que violam nossa política e aqueles que apresentam figuras públicas”. Ele então concluiu:

“Isso inclui os anúncios que impactaram o Sr. De Mol.”

Como o Cointelegraph noticiou em março, a plataforma de propaganda e mecanismo de buscas de propriedade da Microsoft Bing notou que bloqueou mais de cinco milhões de anúncios relacionados a criptomoedas no ano passado.

Recentemente, a rede de notícias financeiras FinancialTimes disse que a Comissão de Câmbio, Futuros e Commodities (Commodity Futures Trading Commission - CFTC) dos Estados Unidos está conversando com o Facebook sobre o lançamento de sua aguardada stablecoin.