"Discípulo" de Buffett, Palihapitiya é otimista quanto ao BTC apesar dos chiados de seu mentor

Chamath Palihapitiya, um autodeclarado "discípulo" dos investidores Warren Buffett e Charlie Munger - disse que os dois céticos a cripto estão "bastante errados" sobre o Bitcoin (BTC), informa a CNBC nesta quarta-feira, 9 de maio.

No início deste mês, Buffett chamou o Bitcoin de “veneno de rato ao quadrado”, e Munger disse que investir em cripto era semelhante a “negociar cérebros de bebês recém-apanhados”. No começo deste ano, Buffett havia dito que o Bitcoin não se encaixava nos requisitos para ser uma moeda.

Na entrevista de hoje para a CNBC, Palihapitiya, fundador e CEO da empresa VC Social Capital, falou sobre o conselho de investimento dado a ele por Buffet - "você define um círculo de competência e fica dentro dele", observando que "a tecnologia não está em seu círculo de competência”.

Em relação a Munger, Palihapitiya disse: "acho que é realmente injusto não entender algo e depois depreciá-lo", acrescentando que:

"Acho que eles são todos excepcionais no que fazem."

O investidor de capital de risco Palihapitiya - que está no mercado de Bitcoin desde 2012 - observou que os mercados de cripto de então diferem drasticamente, em parte devido à visão de longo prazo de HODLers sobre o Bitcoin como uma “proteção à estrutura financeira existente”:

"Sinto que estou em dois universos diferentes, eu preciso de um passaporte para ir entre o mundo do Bitcoin e o meu mundo normal."

O portfólio de Palihapitiya é composto por 99% de participação sem risco e 1 por cento de risco, com o Bitcoin sendo considerado como uma classe de ativos, mas colocado nesse “risco” de 1 por cento devido a sua falta de correlação com o mercado financeiro tradicional:

“É muito importante não esquecer o que aconteceu [no colapso econômico de 2008]. Por que não faria sentido ter uma cobertura não correlacionada? Isso é relacionado à compra de seguros”.

A Cointelegraph publicou um Expert Take no início desta semana sobre o motivo de Buffett e Wall Street adotarem tanto a tecnologia Bitcoin quanto o blockchain para não ficar para trás.

Alguns em Wall Street já fizeram movimentos para a esfera de cripto, como o Goldman Sachs anunciou na semana passada que ofereceriam contratos Bitcoin no futuro, e o dono da Bolsa de Valores de Nova Iorque alegadamente mostrou interesse em permitir que os clientes comprassem e mantivessem BTC.