Diretor do Bank of England defende 'quarta revolução industrial' e descreve nova 'economia digital'

O diretor do Banco da Inglaterra, Mark Carney, prometeu em recente discurso reformular o banco central do país em preparação para a próxima “quarta revolução industrial”.

Falando durante o Innovate Finance Global Summit em 29 de abril, Carney disse que se concentrará em incentivar a inovação entre as startups de tecnologia financeira, sustentabilidade e Inteligência Artificial (IA), prioridades do governo Alemão.

Carney reconheceu a economia digital emergente, para a qual muitos países em desenvolvimento estão se preparando, adotando a tecnologia blockchain e sistemas descentralizados. O diretor comentou:

"A segunda grande onda de globalização é emergente. A Quarta Revolução Industrial está apenas começando e uma nova economia está surgindo. Essa nova economia requer um novo financiamento. Um novo financiamento para atender à economia digital, um novo financiamento para apoiar as principais transições em andamento em todo o mundo e um novo financiamento para aumentar a resiliência do setor financeiro."

Carney também falou sobre a natureza mutável da maneira como trocamos valor: "Consumidores e empresas esperam cada vez mais que as transações sejam liquidadas em tempo real, que o check-out se torne uma anomalia histórica e que os pagamentos através das fronteiras sejam indistinguíveis dos que estão do outro lado da rua."

No início deste ano, o Fórum Econômico Mundial divulgou um relatório que mostrou que mais de 40 bancos centrais em todo o mundo estavam realizando pesquisas e/ou implementando soluções blockchain. 

Grandes figuras do mundo financeiro já se pronunciaram sobre a nova tecnologia. Como reportado pelo Cointelegraph, Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, disse que “as criptomoedas claramente abalam o mundo”.