App de mineração de criptomoedas Honeyminer está agora disponível para usuários MacOS

A Honeyminer, startup de mineração de criptomoedas baseada em Nova Jersey, disponibilizou seu aplicativo de mineração no sistema operacional Apple Macintosh, conforme anúncio da empresa desta quinta-feira, 9 de maio.

O aplicativo Honeyminer é executado em segundo plano, usando a unidade central de processamento (CPU) e a unidade de processamento gráfico (GPU) dos computadores dos usuários para a mineração de Bitcoin (BTC). A startup afirma incluir recursos do aplicativo, como mineração, enquanto o computador dos usuários está ocioso, um registro de atividades com estatísticas atuais de mineração, moedas e hardware utilizados e retiradas, entre outros.

Enquanto a Honeyminer está expandindo suas ofertas, outros serviços de mineração de criptomoedas reduziram ou fecharam completamente suas operações após o mercado de urso do ano passado.

Outro serviço de mineração de criptomoedas, a Coinhive, anunciou seu fechamento em fevereiro, já que o projeto teria se tornado economicamente inviável. A Coinhive teve que fechar seus serviços em meio a um declínio de 50% na taxa de hash após o último hard fork do Monero (XMR).

Conforme relatado ontem, o hashrate da gigante da mineração de criptomoedas chinesa Bitmain havia caído consideravelmente nos últimos 30 dias. Dados mensais analisando o hashate do hardware pertencente a Bitmain mostraram que o algoritmo de hash SHA256 - usado na rede de mineração de Bitcoin - caiu de 1.692,35 quatrilhões de hashes por segundo (PH/s) em março, para 237,29 PH/s a partir do início de maio.

Enquanto isso, a empresa de mineração de criptos Argo Blockchain disse que espera um empate em maio, mostrando sua intenção de continuar a expandir sua infraestrutura de mineração à medida em que os preços de hardware se tornam mais baratos. A empresa espera que 1.000 unidades de mineradoras Bitmain Z11 que entraram em produção em 2 de maio melhorem a margem bruta durante o segundo trimestre de 2019.