Uma fazenda de cripto com 6000 mineradoras foi fechada na Rússia por conta de energia elétrica vencida

Os oficiais do Ministério da Administração Interna (MIA) da Rússia prenderam dois homens que estavam supostamente envolvidos em uma operação de criptomoeda e sua mineração na cidade de Orenburg por não pagar por vários milhões de quilowatts-hora de eletricidade. A fazenda hospedou mais de 6.000 dispositivos de mineração, conforme relatado pelo canal de mídia local Lenta.ru quarta-feira, 11 de abril.

De acordo com o comunicado de imprensa da MIA, a polícia foi inspecionar o local depois que um fornecedor de energia local reportou perdas significativas de energia vindas da área de uma fábrica abandonada. Uma busca na área levou à descoberta de mais de 6.000 dispositivos de mineração conectados via cabos elétricos a uma subestação vizinha.

A fazenda de cripto em questão era provavelmente uma das maiores da Rússia e da Europa. Para fins de comparação, um relatório publicado no ano passado na plataforma Steemit descreveu uma fazenda de mineração Bitcoin hospedando mais de 3.000 mineiros como "o maior" da Rússia.

A representante da MIA, Irina Volk, afirmou que a perda total de energia não paga da operação de mineração de criptomoeda foi de mais de 8 milhões de quilowatts-hora. Os oficiais do ministério lançaram um processo criminal contra os dois homens que foram detidos no processo do ataque.

Na semana passada, o Cointelegraph relatou que a autoridade de serviços públicos no estado de Washington começou a impor sua proibição de novas operações de mineração de criptos no estado.

No início de março, mineradores de criptos russos chamaram a comunidade internacional de mineração a participar da 'Hora da Criptomoeda', desligando seus equipamentos de mineração por uma hora, a fim de chamar a atenção para o aumento da rede da Bitcoin em consumo de energia, embora alguns afirmem que o consumo "não é-um problema".