Startup de liquidação blockchain Setl, apoiada pela Credit Agricole, retorna após de pedido de insolvência

A Setl, startup de liquidação blockchain apoiada pelo Credit Agricole, retomou sua administração, segundo a agência de notícias financeiras Finextra publicou em 3 de maio.

Segundo a matéria, a startup baseada no Reino Unido voltou de seu pedido de insolvência depois que sua gestão comprou os ativos em operação os direitos de staff e propriedade intelegtual da empresa. Como o Cointelegraph já havia publicado, a Setl pediu insolvência em 7 de março às autoridades do Reino Unido.

Segundo o anúncio de março, a empresa também apontou a firma conselheira comercial Quantuma como sua administradora independente. O anúncio também mostrou que a empresa estava "buscando realocar sua holding ID2S com uma empresa de serviços financeiros maior, melhor colocada para fornecer o capital necessário para suportar sua trajetória de crescimento”.

De acordo com a Finextra, a recém-formada companhia limitada da Setl reestruturou seu balanço e simplificou seu modelo de negócios com o objetivo de fornecer serviços de blockchain em parceria com provedores de serviços financeiros existentes. Além disso, os custos operacionais da empresa foram supostamente cortados e seus dois escritórios de desenvolvimento em Ipswich e Londres foram consolidados.

O ex-diretor do Barclays David Walker foi nomeado diretor, enquanto o diretor honorário do Banque de France Christian Noyer é diretor principal independente da nova entidade. A notícia cita Walker explicando os objetivos dat Quantuma:

“Os objetivos da nomeação da Quantuma LLP pelo Conselho eram dois. Em primeiro lugar, agir como uma parte neutra para representar os interesses de todos os seus credores e partes interessadas. Em segundo lugar, ajudar a moldar a estrutura futura para permitir que a empresa equilibre suas propriedades de infraestrutura estratégica e continue suas atividades para desenvolvimento de software.”

De acordo com dados do CrunchBase, a Setl obteve US$ 39 milhões em três rodadas de financiamento, a última delas terminada em 1 de fevereiro de 2018.

Conforme o Cointelegraph noticiou ontem, o CEO da Bolsa de Londres, uma das bolsas de valores mais antigas do mundo, acredita que a blockchain pode ser útil para emitir títulos e liquidações.